07 junho 2007

O VELHO MSX - EXPERT - Capítulo 4 (Final)


----------------------------------------------------------------------------------
Observação: Caso tenha se interessado pelo assunto, recomenda-se começar pelo Capitulo 1. A história parecerá mais interessante. Obrigado. (Adelino)
----------------------------------------------------------------------------------
Mesmo assim peguei um dos velhos disquetes já mofados e encarquilhados e o introduzi na janelinha do aparelho. Era querer muito, pensei... Mas imaginem o que aconteceu? Num misto de surpresa, satisfação e emoção vi surgirem na tela verde as especificações técnicas do aparelho e os dizeres “digite qualquer coisa” ou “press any key”... Hesitei um pouco diante do que fazer em seguida, pois eu me esquecera dos comandos principais. Afinal, já se passavam mais de dez anos desde a última vez que lidara com ele. Até que me lembrei de chamar os arquivos do disquete digitando “dir” (Diretório). Nada aconteceu. Experimentei digitar "file”, e “Enter”. Nada. Repeti tudo sem sucesso, mas mesmo já admitindo a idéia de que ele não passaria daquilo, ainda assim eu estava muito satisfeito, pois que o meu antigo Expert pelo menos dera provas suficientes de que “vivia”, “ainda respirava”. Isto bastava, ponderei.

Já pensava em desmontar tudo e guardar na caixa novamente, quando eu me lembrei que poderia estar faltando um "s" no final de “file”, e por isso ele não respondia, pois queria tudo no plural... Confiante, levei o cursor até aquela palavra e acrescentei o “s” ao “file”. O drive girou bonito, esparramando pela tela abaixo em caracteres brancos os nomes de velhos arquivos que eu criara há mais de 12 anos... Selecionei um dos mais complexos, e ei-lo à minha disposição, pronto para ser usado, naquele caso, apenas mais apreciado do que usado, talvez louvado, aplaudido...

Não sei não, mas acho que o nosso velho MSX Expert Gradiente parecia me olhar através do antigo monitor verde com um ar desafiador de quem quisesse dizer: - “Como é, vamos lá, continuo aqui à sua disposição esperando novas ordens...”
Mas eu não lhe dei mais nenhuma ordem. Limitei-me a proteger respeitosamente aquela "relíquia" protegendo-a com uma velha capa de tecido quadriculado. Voltei para casa alegre, realizado, com uma boa historinha para contar um dia. E é justamente o que fiz, atendendo a sugestão do caro leitor Eduardo P.L., a quem, como disse anteriormente, dediquei este post...

FIM
----------------------------------------------------------------------------------

8 Comments:

Blogger Fernando said...

Oi, Adelino,
depois de ler toda essa saga do seu MSX-EXPERT, chego a pensar em "recuperar" meu antigo, e primeiro, computador, que fica a me olhar, de soslaio, às minhas costas. Da última vez que o acionei, não quis nada com o batente e rugia, como a dizer que seu tempo já passou. Vou ler, em voz alta, esse seu relato pra ver se ele se toca. Rsrsrsrsrsr
abração
fernando cals

sábado, junho 09, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, acompanhei atentamente a todos os capitulos do MSX-EXPERT, que não renegou o nome, e prova, mais uma vez, que não se fazem mais....como antigamente. Sem NOSTALGIA! Obrigado pela dedicatória. Valeu.
Bom domingo.

domingo, junho 10, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelinoi, tá vendo? Não ficou nenhum comentário zerado. Comigo é assim: tardo e às vezes falho, mas depois venho ver se consigo arrumar o estrago. Conte comigo!
Abração

segunda-feira, junho 11, 2007  
Anonymous Adelino said...

Fernando, tem um detalhe. Isto que contei aconteceu há uns quatro anos. Atualmente não sei se o bichinho ainda aceita ordens. Pretendo até dar uma verificação, mas acho que não deve responder mais. Se responder, canonizo-o...
Grande abraço

segunda-feira, junho 11, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, tem sim aparelhos, modelos etc. que trocamos por outros mais modernos, e no final das contas eles não são nada melhores do que os modelos anteriores. Já entrei nessas algumas vezes, mas não vou dar nomes porque acho que nem é permitido.
Obrigado pela sua homenagem lá no Varal. Quanta honra pra mim. Valeu.

segunda-feira, junho 11, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, você é uma das pessoas que põem este blogue pra funcionar, com o seu incentivo, e muitas vezes com um humor muito refinado. Ficamos felizes em ver que está retornando com toda a força. É isso aí, tem dias que chove, mas também tem dias, que são muitos, em que o sol brilha.
A propósito, apesar de não ser muito religioso, costumo ir às missas no domingo de manhã. O tema de ontem foi: "Levanta-te e anda!", um incentivo ao ânimo, ao otimismo. É difícil às vezes, mas vale a pena tentar.
Nem sei por que estou falando isso. Deixa pra lá.
Grande abraço, Valter.

segunda-feira, junho 11, 2007  
Blogger Giovanny said...

Alguns computadores têm alma. Eu gostaria de ter um desses...
Nunca me esqueço de uma vez, na escola, lá pelos idos de 85, de uma demonstração de computadores, onde me ofereceram pra "conversar" com um MSX, dizer "oi", essas coisas. Naquela época era algo do "futuro", mas de um futuro que tão cedo não viria. E, quem diria, 10 anos depois, os computadores pessoais - e a internet, por extensão - começaram a virar itens obrigatórios para que qualquer um sobreviva nesse mundo cão.
Abraços, e valeu pelo teu post!

terça-feira, julho 03, 2007  
Blogger Raphael R Barbosa said...

Tenho um computador MSX igual, porém só CPU e teclado. Ainda hoje está guardado, sem função, mas não tenho coragem (nem a insensibilidade necessária) para me desfazer dele. Fiz muitos programas nele e isso depois serviu para que eu aprendesse a mexer no PC (incluindo Visual Basic).

As pessoas perguntam quantos cursos eu fiz e eu respondo que não fiz nenhum (seria uma história longa contar que o único "curso" que fiz foi ler os livros que vieram com o Expert).

Devo muito ao "Gradiente Expert MSX 1.1Br"!
Vou tentar ligar um drive de 3,5 nele pra reativá-lo, nem que seja pra matar saudades. Emuladores pra PC já uso, mas não são a mesma coisa!

terça-feira, julho 10, 2007  

Postar um comentário

<< Home