13 maio 2007

CLAUDIA - ANO 1 - N. 1

----------------------------------------------------------------------------------
Este post é dedicado à “gestora” do excelente Folhas de Relva, que veio ver o Nostalgia pelas mãos do inteligente e generoso amigo Valter Ferraz. Sonia deve ter entrado de mansinho, um pouco assustada com o ranger de portas, janelas, assoalho, mas não se espantou ao ver que tudo era simples. Devia saber que as coisas por aqui nem sempre são nostálgicas, apenas mais ou menos e às vezes nem mais nem menos. Certos assuntos nos levam a um passado bem distante, outros, para um passado mais próximo, e até mesmo para um passado quase presente. Tudo em função do rumo que os comentários seguem.

Sonia curiosamente revelou que teve o privilégio de ocupar uma mesa na inauguração do Regine´s (SP) próxima à do astro francês Alain Delon e a namorada dele, Mireille, e do charmoso, segundo ela, ator Omar Sharif. E entrevistou Pierre Cardin para a revista CLAUDIA, onde trabalhava. Eu então lhe contei do carinho especial que sempre tive para com aquela revista. E mais: que existia em nosso acervo uma relíquia, o exemplar n. 1 da CLAUDIA. Reconheço que depois fiquei apreensivo, pois me pareceu ter cometido um engano: a tal revista n. 1. seria a Manchete e não a CLAUDIA. Fui conferir no meu arquivo. Na verdade, eu não tinha a Manchete n. 1, mas a 2. Tudo bem, um erro, mas a nossa CLAUDIA Ano 1 - N. 1, de outubro de 1961, estava lá. Eu tinha falado que poderia ser de 1950/1951, porém a Manchete é que era. Mas isto é irrelevante, um errinho de “apenas” dez anos... A Sonia pediu para ver a primeira edição. O escaneamento não ficou muito bom porque as dimensões (26 x 34cm) da revista CLAUDIA daquela fase ultrapassavam a do scanner, e eu tive de fazê-lo por partes, cortá-las e “emendar” no lugar certo, que nem o Jack...
Eis aí, Sonia, o post que você sugeriu...
----------------------------------------------------------------------------------
PS 1 – O Sumário das seções da CLAUDIA n. 1 é este:
O MUNDO DE CLAUDIA (Educação dos filhos, crônica de Rubem Braga...)
MODA (Primavera...)
DECORAÇÃO (A função do arquiteto, renovação de um sofá antigo...)
BELEZA (Pele: luz em seu rosto...)
COZINHA (Bons pratos para bons amigos...)
REPORTAGENS (O belo Marcello, memórias de Sofia Loren, super-mercados...)
CONTO (Minha irmã Meg, de Natalia Forte...)
VÁRIAS (Horóscopo, teste dos jardins...)
----------------------------------------------------------------------------------

62 Comments:

Blogger Sonia said...

Adelino, fiquei emocionada ao ler o seu post de hoje e rever o primeiro número da Revista Claudia! Que gentileza a sua ter todo esse trabalho para escanear a revista e dedicar este post a mim! Muito obrigada! Me lembro muito bem desta capa desenhada! Só alguns números mais tarde é que vieram as capas fotografadas. Nessa época eu era uma estudante de jornalismo e como leitora de Claudia nem imaginava que alguns anos mais tarde eu iria fazer parte de sua equipe. Claudia foi uma revista inovadora e que surgiu para revolucionar o conceito de revista feminina no Brasil. Através de seus exemplares podemos acompanhar o desenvolvimento da moda industrializada, as transformações da sociedade brasileira, as mudanças no comportamento da mulher, a quebra de tabus e a luta pelos seus direitos através dos ótimos artigos de Carmen da Silva. Claudia também publicava boa literatura, trazendo em suas páginas textos dos maiores cronistas e escritores brasileiros, como Rubem Braga, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Vinicius de Moraes, Dias Gomes, entre outros. Enfim, você tem mesmo uma raridade em seu acervo, Adelino! E você está de parabéns por valorizar a história da nossa imprensa e ajudar a manter viva a nossa memória. Muito obrigada e um grande abraço!

domingo, maio 13, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Puxa Adelino, que bela homenagem, e parabéns pelo acervo.
A Sonia tem razão, dentre as revistas que chamávamos de "inutilidades", a revista Claudia era uma excelente revista, matérias inteligentes, e ainda a adquiríamos pelos modelitos,época em que grande parte das moça se interessavam por costura, e queriam fazer sua próprias roupas, sem ficar fora de moda.
E claro, quem não queria ficar por dentro da vida de seus ídolos?
Um abraço à você e à Sonia, sua homenageada.

segunda-feira, maio 14, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, a Sonia merece mesmo essa homenagem. Ela é ótima, e seus blogs idem.
Então vou te dar outra notícia: sou o primeiro, e acho único, homem a ter sido CAPA de Claudia.Eu e uma modelo loirinha, em foto de Roger Bester, se não me engano, ou do José Antonio. Não tenho certeza. Além de capa fui PAI, numa ilustração de página dupla, de matéria sobre criança. Nesse tempo nem casado era, portanto antes de 1969...
Mas isso é NOSTALGIA PURA !
Vim aqui para cumprimenta-lo pelo MERECIDISSIMO premio que o Valter acaba de te conceder. E não adianta esperniar, trata de indicar seus cinco favoritos!E não me venha com blogs de 1800 !!Forte abraço.

segunda-feira, maio 14, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, viu como é esse negócio aqui? Vc faz uma homenagem para a Sonia com um post e a gente acaba descobrindo que o Eduardo já foi capa da revista!
Eu sempre que podia gastar uns trocados com revista, comprava uma Cláudia´para a Aninha se inspirar nas costuras e eu como leitor voraz lia tudo antes dela.
Mas não essas aí que vc coleciona. Só as mais muderrnas.
Um abraço aí

segunda-feira, maio 14, 2007  
Blogger Sonia said...

Adelino, vou pedir licença e deixar um recado ao Eduardo! Primeiro obrigada pelo elogio! Sobre as fotos, que incrível Eduardo! Conheci o Roger e o José Antonio, pois eram fotógrafos no meu tempo de Claudia. Gostaria de ver essa capa e a ilustração da matéria. Que tal você publicá-la para a gente ver? Acho que todos nós íamos adorar!

segunda-feira, maio 14, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Sonia, amiga,
por que fui contar isso?
No embalo nem me toquei que essas "antiguidades" deveriam ficar com o Adelino, ou Museólogos. No VARAL não cabe auto-promoção-antiga!E depois tem a turma da gozação, Valter, Guga, Claudio, Peri, que vão rolar! Vou te mandar por e-mail a ilustração, que virou POSTER e tenho uma foto aqui. Agora a capa só nos arquivos da ABRIL. Lembrei o Ano, pois com o pagamento recebido, comprei uma gravura enorme da MARIA BONONI, de presente de noivado para minha primeira mulher. 1998 .Se vc tiver contatos, ainda, na Abril, é só perguntar pela única capa com um HOMEM na capa! É ela! Bjs
( Desculpas ao Adelino pela prosa em paralelo, mas como foi citado, melhor aqui.Risos ..)

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Meire said...

que reliquia Adelino!

segunda-feira, maio 14, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Eduardo, nem vem que não tem. Pode ir scaneando a foto da capa aí. Vamos ficar no seu pé.
Adelino, dá uma força e cobre o Eduardo.
Queremos a foto sim E tem que ser publicada aqui, pois aqui é o lugar para essas recordações.
Nem lá no Varal e menos ainda no Folhas de Relva, viu Dona Sônia?

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, o que fazemos por prazer não dá trabalho algum.
Confesso, entretanto, que por causa da preparação do post, no domingo de manhã eu me distraí tanto que cheguei às 10h40 na Santa Missa das 10h. Mas tudo bem...

A apresentação daquele n. 1 fala quase a mesma coisa que você disse. Ainda ontem comentei com minha filha (assinante da revista), que - pelo menos que eu saiba - no Brasil tem apenas três revistas ainda em circulação, com mais de 38 anos: a VEJA (tenho um carinho especial por ela também), VISÃO (esta não tenho muita certeza, confirme, quem sabe, por favor) e CLAUDIA. E tem a PLAYBOY, mas teve de mudar de nome algumas vezes quando começaram com a edição brasileira.

Interessante, Sonia, a CLAUDIA começou de leve, mas em 1968 a ELE&ELA, que iniciou pegando firme em temas "proibidos" degringolou e não sei que rumo acabou levando.
Um abraço pra você.

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Obrigado, Anna.
Você vê como são as coisas: de um post da Romy Schneider surgiu este tema tão interessante, tão rico em recordações boas. A CLAUDIA foi das primeiras revistas inteligentes no Brasil. E teve que se adaptar às mudanças de costumes, de apresentação, e até de valores. Se assim não fosse, talvez não estivesse entre nós até hoje. Mas sempre com inteligência.
A homenagem foi não somente para a Sonia, mas também para as leitoras da CLAUDIA, entre as quais você certamente se inclui, hoje ou em outros tempos.
Um abraço, Anna

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous http://www.maisoumenosnostalgia.blogspot.com/ said...

Eduardo, lembra-se do saudoso colunista social Ibrahim Sued num programa que tinha na TV Globo, em que dizia: BOMBA, BOMBA? Pois é, essa sua revelação sensacional caiu como uma BOMBA, e, por sorte minha, no meu blog. E ainda foi PAI, em página dupla... É demais...
Voltaremos ao assunto, sem dúvida.

Eduardo, eu realmente recebi um prêmio do Valter, mas não sei como proceder. Se puder me explicar, ou o Valter mesmo, ficarei agradecido. Terei de indicar 5 blogs favoritos?
Como colocar o award no blog?
Grande abraço

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, a sua revelação foi tão sensacional que acabei errando e escrevendo nos campos indevidos. No lugar de "nome de usuário" taquei o link do blog...
Minhas desculpas.

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, a sua revelação foi tão sensacional que acabei errando e escrevendo nos campos indevidos. No lugar de "nome de usuário" taquei o link do blog...
Minhas desculpas.

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Então, Valter, de um simples post de uma estrela de Hollywood (Romy) descobrimos um amigo que foi astro no Brasil... Capa de revista! Quem diria... Mas fique tranquilo, não espante ele não, caso contrário ele se trancará. Mais revelações virão por aí...

Na verdade, Valter, eu não coleciono a CLAUDIA. A minha filha até assina, mas depois conto o porquê de eu ter o número 1 no meu acervo. Vai dar post, acho.
Grande abraço
PS - Depois, particularmente, se quiser, me explique como funciona aquele prêmio (award, não é?) Lembre-se de que sou calouro nisso...
Abs

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Claro, Sonia, use o espaço à vontade. A honra é minha.

Estou contigo, tem de publicar sim... Viu o que vc foi arrumar, Eduardo?
Abraços

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, com licença para uma opinião.
Tudo bem, vou negociar com a Sonia, e o poster (ou a própria capa da revista) poderá ser publicado por ela ou pelo Valter mesmo. Embora a contra-gosto, abro mão. Quanto às gozações, já que a grande revelação foi feita aqui, podemos pedir ao Valter, que segure, apazigue a turma...
Mas a esta altura ele já deve ter espalhado a notícia por aí, Mongaguá toda já sabe...
Boa sorte...
Grande abraço

PS - Falando sério, Eduardo, vc sabe que o fato de vc ter sido a única capa HOMEM da revista, pode render à uma boa reportagem?

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Olá, Meire, que bom ver você aqui. A Sonia foi quem me fez catar aquela relíquia. E o assunto está rendendo.
Grande abraço

segunda-feira, maio 14, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, o bom senso manda que eu abra mão de publicar a foto de capa do Eduardo junto com a loirinha. O que você acha? Vou fazer uma proposta a Sonia: ela publica o Eduardo e eu, a menina... Fechado? Tem um detalhe, Valter: não assuste o Eduardo não, porque deve vir mais coisas por aí: ponta em filmes, comerciais na TV... Sei não...
Abração

segunda-feira, maio 14, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, vou dar uma colher de chá pro Eduardo a teu pedido. Vou pegar leve para não assustar a lebre.
Quanto ao selo do award, é simples.
Você copia e cola aquele selinho que te mandei. Entra na guia "modelo" e vai até à side-bar e encontra o lugar.
Se achar muito difícil pode fazer um post com o selinho e indicar os cinco blogs que vc acha que merecem.
A Sônia é ótima para esses assuntos, talvez ela possa te ajudar também.
Quanto ao Eduardo novamente deixo em tuas mãos.
Um abraço

segunda-feira, maio 14, 2007  
Blogger Lord Broken Pottery said...

Adelino,
É por essas e outras que indiquei seu blog para o Thinking Blogger Award. Passe lá no Lord para ver, você está em boa companhia.
Linda matéria. A número um tinha crônica do Rubem Braga? Só poderia ter mesmo vida longa.
Grande abraço

terça-feira, maio 15, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, e não é para ficar arredio? O Valter me chamando de " LEBRE" públicamente. Olha , Valter, não sou não, e como disse o Guga esta semana lá nos comentários dele, " sou muito espada"...!
Bom já que o Adelino teve essa BOMBA (segundo ele) aqui no Nostalgia, que para mim não passou de "um traque" , vou contar mais: Tenho foto minha em duas matérias do LIFE. Isso mesmo. Mas nem me pergunte por que, nem quando, vou deixar a dona Sonia descobrir!
E como o Adelino provocou, vou ainda contar mais: fiz cinema, sim, mas não como ator, pois minha canastrice não permitiria. Mas fui assistente de DIREÇÃO, e diretor de curtas-metragens, tendo até participado de Festival do Cinema Amador do JB, aí no Rio. Chega de furos. Vou acabar ficando antipático com tantas imodéstias! Abraços a todos!( A única vantagem de ser velho, e não escrever, é ter muita coisa, para os OUTROS contarem) hahaha!

terça-feira, maio 15, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, vim aqui para uma coisa e acabei indo sem faze-la: PARABÉNS PELO SEGUNDO SELO. Agora o do Lord! Aproveita e faz como ele, tasca dois de uma só vez, e estamos aguardando sua lista de dez!Sem fugir da raia!Os dois merecidíssimos!

terça-feira, maio 15, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Eduardo, deixa de frescura que entendeste bem, sim.
Então até cineasta? Polivalente o homem.
Adelino, aperta aí que sai mais coisas. Até na Life!
Vai fundo que a gente está no lucro. Nada de moleza com êle.

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, vou seguir as suas instruções, mas acho mais tranquilo colar o selo e fazer as indicações. São só cinco, não é? Fiquei honradíssimo pela minha premiação, porém, as indicações me colocaram numa chamada "saia justa"... (no bom sentido).
Quanto ao Eduardo, tudo bem. Deixa comigo.
Grande abraço

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Lord, claro que vou lá ver. Muito obrigado pela indicação e pelas palavras de incentivo.
Além do Rubem Braga, Lord, outros "cobrões" colaboravam na CLAUDIA, conforme disse a Sonia. Só podia dar certo mesmo e ter vida longa...
Abraços

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, não ligue pro Valter, não. Deixa ele comigo. É só falar com a Anninha (Meu Jeito de Ser), que ele está sujeito a pegar uma pena de uma semana lavando louça e limpando a casa...
Mas, convenhamos, esta outra da LIFE não foi fácil. Aguardamos detalhes.
A Sonia até sumiu, acho que está pesquisando as infomações junto a CLAUDIA.

Eduardo, você falou em curta-metragens de filmes. Eu fui, hoje menos, um cinegrafista amador do tempo do 8mm, super-8, single-8, 16mm (mais projetando), sonoro (banda magnética e som ótico), mudo etc. etc. Não sei se já leu sobre isso em comentários que fiz em blogs dos amigos. Sempre tive, nos bons tempos, vontade de produzir um curta (FESTIVAL SUPER-8), mas não deu. Depois passei para as filmadoras VHS e foi assim.
Taí, gostei, um bom tema para um post.

Pode contar mais, não vai ficar antipático coisa nenhuma, pelo contrário, você está "abrindo um leque" (não no sentido literal, veja lá, Valter) de oportunidades de bons comentários. E de novos post´s.
Grande abraço

terça-feira, maio 15, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, eu não quero ser o chato, mas já sendo: não, não são dois selinhos, e cinco preferidos para cada um. Um do Valter, e outro do Lord. O que é isso? Economizando na distribuição de selos? Tem muita gente boa, e blog sem selo ainda. Nada de economia nessa área. Esse premio tem entre outras razões promover o conhecimento de NOVOS blogs. E já que esta com a mão no selo, põe logo dois! Abçs.

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, boa dica. Pode isso? Com dois selos tenho o direito de indicar os TOP TEN? Maravilha.
Se mais alguém quiser me indicar indico 20...
Abração

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, pois, é na LIFE... Não precisa apertar, não, o Eduardo vai nos contando aos poucos as recordações dos bons tempos, e isso é ótimo.
Abração

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Ok, Eduardo, eu vou resolver da seguinte maneira: indico dez blogs, e "estamos conversados", como dizia a grande Aracy de Almeida, colega de sala do Valter, no Curso Primário lá em Araçatuba...
Abração, Eduardo, e conte mais.

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous denise said...

ah, essa não! A gente quer ver o Eduardo na capa, sim!
Eu adoro ler revistas! Ah, e adorei o acento circunflexo na palavra côr-de-rosa!
Vou copiar e colocar em minha aula interativa de acentuação, posso?
abraço, garoto

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Denise, e não é só capa não... Foi página dupla como PAI, e ainda apareceu na revista LIFE, mas ele ainda não revelou o motivo de sua presença nesta última publicação. Aguardemos.

O côr-de-rosa é legal... Anota aí na sua aula interativa...
Abraço pra você também, Denise.

terça-feira, maio 15, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, vc está impossível, hein?
Fala do Eduardo abrir o leque. Pera aí. Isso não vai acabar bem. Fico por aqui.
E ainda me coloca ao lado da Aracy de Almeida? Cruz credo, eu sou novinho, rapaz!

terça-feira, maio 15, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Adelino, gostei do seu comentário lá.
Respondí.
Dá o que falar.
Um abraço

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, sobre o "leque" que o Eduardo abria eu falei em sentido figurado, e não literal.
Ué, a Aracy, era a intérprete preferida de Noel Rosa, nos meados da década de 30... Nem eu era nascido, grande Valter.
Abraços

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Anna, vou lá ver.O assunto é polêmico. O negócio é não radicalizar e nem generalizar, não é?
Grande abraço

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Andréia Nery said...

Parabéns, Adelino, por resgatar a história da imprensa e dos anseios de uma sociedade! Eu acho engraçado quando me deparo com exemplares antigos. Preste atenção nas prioridades daquele tempo. Revistas femininas que mostram textos tão simples e ingênuos!!! Mas o que mais gosto de observar são os anúncios. Um show!
Aliás nos idos dos anos 70 eu lia as fotonovelas de uma tia minha! Ontem mesmo eu comentava sobre elas com minhas filhas. As meninas acharam tudo surreal!

terça-feira, maio 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Andréia, teve um época em que eu freqüentava muitos sebos. No Centro do Rio tem alguns muito bons. Mas são sebos mesmo, tem-se que ter coragem de mexer nas revistas empilhadas aos montões. Pede-se licença ao gato que dorme nas prateleiras e mãos à obra. Os melhores achados geralmente estão nas últimas pilhas, naquelas que ninguém se abaixa para procurar, por comodismo ou falta de preparo físico. Mas eu acho que a época boa para isso já passou. Virou moda, e agora até antiquários, lojas ou bancas especializadas vendem, mas é um ótimo hobby.

Você disse bem: os textos dos contos ou fotonovelas eram muito ingênuos se comparados aos padrões modernos. As suas filhas com certeza não, mas você chegou a pegar a Grande Hotel? Acho que não. Eu nunca li, mas minhas irmãs liam. Eu era mais de ler um Gibi ou Globo Juvenil Mensal, Guri Cômico... E não guardei nem um...

Às vezes, para se dar uma relaxada é só pegar uma publicação bem antiga, coisa assim década de 30 e ler/ver ver como se estivesse lendo/vendo alguma coisa atual. Era muito comum as propagandas de produtos (xaropes) para engordar... Hoje são para emagrecer, veja só.
E os tergal, banlon, nycron... Tinha uma camisa de – acho que tergal -, que não amarrotava, mas em compensação no frio era gelada, e no calor, um forno...

Ok, Andréia, muito obrigado pela sua atenção. Apareça sempre por aqui. Postaremos mais coisas curiosas sobre esse tema.
Um abraço

quarta-feira, maio 16, 2007  
Blogger Denise Sollami said...

Claudia é uma ótima revista porque sempre se manteve atual, sempre se renovou. Mas claro que um cronista na envergadura do Rubem Braga ela fica devendo.

quarta-feira, maio 16, 2007  
Blogger Sonia said...

Avelino, eu outro dia deixei um comentário num post sobre a Doris Day, relativo à música O Que Será Será. Se você quiser eu posso enviar para você por e-mail essa música, é um arquivo super leve, só 136 kb. Para isso, você precisa me passar o seu e-mail. O meu é samascaro@uol.com.br
Abraços e até mais!

quinta-feira, maio 17, 2007  
Anonymous Adelino said...

Olá, Denise, estava faltando você por aqui, porque o post, que começou com a Romy Schneider rendeu umas boas revelações.
Um abraço

quinta-feira, maio 17, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, você sumiu? Não preisa ficar assustada não que aqui é assim mesmo. Às vezes fica calminho, mas o VALTER FERRAZ não deixa ninguém parado...
Daqui a pouco ele estará me cobrando "serviço", ou seja, post novo. E não é todo dia que a gente está inspirado, não é?

Eu me lembro sim do seu comentário no post da Doris Day.
Pode me enviar que gostarei muito. Já mandei meu e-mail para você, há pouco.
Abraços.

Apenas um detalhe: pode me chamar de Avelino, sem problemas, mas o meu nome escreve-se com D, ADELINO...
Abraços pra você, Sonia.

quinta-feira, maio 17, 2007  
Blogger Sonia said...

Nossa, desculpe a falha, foi erro de digitação, pois eu sei que você é Adelino! Já vou enviar a música!
Até mais!

quinta-feira, maio 17, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, direito de resposta: 1) a camisa que não amassava e era fria prá burro era a "Volta ao Mundo" e eu usei um bocado delas e com sapatos Vulcabrás 772!
2) Posso começar ate chamar de Avelino também ou é só a Sônia que pode? e
3) Cadê o post novo?

quinta-feira, maio 17, 2007  
Blogger Sonia said...

Oi Adelino, o e-mail não chegou e também não está na Quarentena. Você poderia enviá-lo novamente?

quinta-feira, maio 17, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, não se preocupe. Eu sei que NÃO foi erro de digitação. O D fica longe do V... Por falar nisso, Sonia, ontem de manhã eu fiz uma limpeza no meu teclado. Mas ia com cuidado. Tirava as teclas de três em três pra não confundir. Limpava e recolocava. Aí fui atender a um telefonema. Coloquei as teclas que estavam "esperando" de fora.
Mais tarde, quando fui escrever, cheguei a ficar preocupado: eu não acertava uma. Batia O saía I. P era O e assim por diante. E lá no E, R, t também. Uma mixórdia. Por uns segundos pensei que o problema era eu... Não era. Quer dizer, eu tinha causado o problema.
Abraços

quinta-feira, maio 17, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, vai ver que você usava chapéu Ramenzoni. E aquelas capas transparantes da Casas da Borracha? E os shorts para a praia, de shantung? E galochas? E liga para segurar as meias? Suspensórios? Glostora no cabelo. Ou Gumex mesmo...
Eu me lembro da "Volta ao Mundo": fervia no calor e gelava no inverno. Com o tempo amarelava. O Vulcabras, depois de muito uso ficava com a ponta torta, lembrando um bico de jacaré.

Lembra das saias "plissadas" de Ban-lon? Muito elegantes e sensuais, por sinal. Mas isso quem entende é a Sonia.
Grande abraço
PS - Calma, estou pensando num post.

quinta-feira, maio 17, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, vou lá conferir, de qualquer modo, anote:

adelino.ps@gmail.com

O seu e-mail estaria correto, Sonia? Eu tenho certeza que não errei, porque eu colei do comentário diretamente no meu endereço. Se estiver errado mande de novo, ok?
Abs

quinta-feira, maio 17, 2007  
Blogger Sonia said...

O meu e-mail é exatamente esse que digitei, mas estou enviando a música pelo seu e-mail. Até mais.

quinta-feira, maio 17, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, esse papo entre a Sonia, Avelino, Valter, é para postergar a nova postagem? Vamos mudar de assunto. Ou estamos precisando ler o ESTADÃO?!Quanto à ligas, faladas nos comentários acima, tenho mais um registro POLÊMICO a fazer. Quando trabalhei no Paraguai, nos idos de 1963/64, (e não era exilado político, não) conheci um camarada elegantíssimo, e que me intrigava como depois de um dia inteiro de intensa labuta, sua camisa estava completamente esticada, passada, sem dobras e sem sair em ondas na altura do cinto. Não eramos íntimos, a ponto de eu poder perguntar o segredo, mas um dia descobri. Ele usava umas ligar que prendiam o cano da meia , e a ponta da camisa. Um sucesso. Passei a usar , e foi o único período da minha vida que estive razoavelmente elegante. Meias esticadas e camisa para dentro da calça, impecaveis! Larguei mão no dia em que, na sala de um diretor de banco, na maior cerimônia, a presilha da camisa se soltou e o elástico da liga foi como um estilingue para fora da barra da calça. E com o ruido característico.Parei a conversa, agachei, tirei a liga, constrangido, coloquei-a no bolso do paletó, e vi, pela cara do diretor, o empréstimo já era. Vexame total.

sexta-feira, maio 18, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Eduardo, eu também não concederia um empréstimo a alguém que usasse ligas nas meias e nas camisas.
E ainda recomendaria que procurasse um alfaiate e um agiota, nessa ordem!
hahahhá! me divirto muito aqui!
abraços aos dois!

sexta-feira, maio 18, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, chapéus Ramenzoni ou Cury quem usava era o meu pai; creme glostora nunca usei(meu cabelo sempre foi "ruim"), suspensórios usei quando criança e com calças curtas, nos joelhos. Tenho uma foto que estava de terno, calças no joelho, meias brancas e suspensórios. Muito elegante, para a época. E comia biscoitos São Luiz que vinham em uma lata redonda com paisagens lindas. Aos domingos tomava sorvete Kibon, no almoço grapete(quem bebe grapete, repete dizia o reclame no rádio).
Jogava figurinhas(era bom no "bafo"), futebol de botão(eram de madeira, torneados)e escutava os jogos do palestra itália com meu pai no rádião de galena.
Quer mais? cutuca então que sai.
Abração, companheiro

sexta-feira, maio 18, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Vixe Maria! Isso aqui virou uma bela sessão "cueca amarela".
tadinho do Eduardo, ninguém merece um mico desses.
Mas taí, um belo assunto. Vamos instigar todo mundo.
"Qual foi o seu pior mico?"
Isso pode render heim?
Um abraço

sexta-feira, maio 18, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, recebi o Que Sera. Lindíssima. É uma canção que jamais deixará de ser atual. A Doris Day era muito charmosa, versátil, e fez muitas comédias românticas excelentes. Já viu Pillow Talk? Vale a pena.

Sonia, enviei os e-mails exatamente como me disse, é estranho que não tenha recebido. Aqui no Gmail consta nas pasta dos remetidos.

Abraços, até mais, e dê notícias!
Adelino

sexta-feira, maio 18, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo P.L., essa da liga nas meias e pontas da camisa, nunca ouvi falar. Quer dizer, ouvi agora. Sensacional. Pelo que você contou umas das ligas deve ter se soltado da camisa e foi para o pé, não é isso? Agora, olha o perigo: e se ela arrebenta do lado da meia? Claro que o elástico esticado ia subir e bater noutro lugar... Aí então é que o empréstimo não ia sair de forma alguma...
Já contei aqui em casa essa da liga e foi o maior sucesso. Não se preocupe que não dei nomes...
Um abraço. E conte mais, deixa o Valter pra lá...

sexta-feira, maio 18, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, estive pensando melhor, e acho que se eu fosse o gerente do banco, eu não daria mesmo o empréstimo, mas me ofereceria para fiador do Eduardo num emprestimo na Ducal. Comprava três ternos e pagava dois em 36 "suáveis" prestações...
Isto aqui virou o quê, Valter?
Um abraço

sexta-feira, maio 18, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, curioso como as coisas mudam. Era comum os homens usando chapéu e as mulheres, sombrinhas.

Eu me lembro do Gumex (Dura Lex Sed lex no cabelo só Gumex...) No saquinho que trazia aquele pó para ser misturado à água, tinha uma recomendação importante: "JAMAIS PASSE O PENTE NOS CABELOS DEPOIS QUE ELE JÁ ESTIVER FIXO". Era uma recomendação correta, porque se a pessoa fizesse isso, levantava uma poeira esbranquiçada, ainda mais se estivesse ao sol...

Eu também usei suspensório quando criança, Valter, era elegante.

Você falou do Palestra Itália. Era o nome do Palmeiras, não era? Com a II Guerra Mundial todos os times que tivessem nomes relacionados a Itália ou Alemanha tiveram de mudar de nome, como o Palmeiras, o Cruzeiro. E o Germania mudou mas não sei direito qual a nova denominação.

Pegou o Rádio Telespark ou o Transglobe da Philco?

Grande abraço

sexta-feira, maio 18, 2007  
Anonymous Adelino said...

Anna, combinado, ótima sugestão. Como aqui já está "engarrafado" e tenho de prosseguir senão o Valter fica cobrando, um de vocês pode fazer o post "Qual o maior mico que você já cometeu?"

Eu até já conto um meu pra esquentar:

Eu estava numa loja que vende cartuchos para impressora. Ao lado tinha uma mocinha até que bonita, de luvas brancas, guarda-pó (viu, Valter?) trabalhando no recarregamento de cartuchos. Eu estava observando o seu trabalho, e em dado momento perguntei a ela:
- Não acontece de às vezes você se esquecer e passar a mão no rosto sujando-o de tinta?
- Acontece sim, às vezes.
E eu, querendo ser simpático:
- Você sabia que neste momento você está com uma manchinha de tinta debaixo dos olhos?
E ela:
- Não é mancha não, é de nascença...
Só que eu pensei rápido, e falei:
- Ah, é? Mas você sabia que ela lhe dá um charme todo especial?

Ela sorriu e agradeceu feliz da vida. Escapei por pouco.
Um abraço, Anna.

sexta-feira, maio 18, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, deixa o Valter falar! Estou perplexo,sem trocadilho, com o rumo que estes comentários estão tomando, pois esta mais para programa humorístico, tipo: BALANÇA MAS NÃO CAI, do que para um blog sério e sisudo como sempre foi!Abraços e bom fim de semana.

sábado, maio 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, não se assuste. Isto é ótimo que aconteça de vez em quando. Um humor fino, sem malícia, sem palavras feias só enriquece o post. E é o que está acontecendo. A bonito dessa interatividade toda, Eduardo, são as surpresas, as revelações e as descobertas, muitas vezes até carregadas de emoção. Depois eu conto num post.
Gostei do BALANÇA MAS NÃO CAI...
Às vezes, Eduardo, RIR ainda é o MELHOR REMÉDIO. Aqui em casa o pessoal se divertiu com as histórias contadas e os comentários deste post.
Grande abraço pra vocês.

sábado, maio 19, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, o Eduardo tá zuando o barraco aqui. Balança Mas não cai, foi de doer. Daqui há pouco ele vai lembrar do Lilico(e tome pauladinha na moleira!). Ainda via lembrar do Zeloni, Renata Fronzi e Ronald Golias. Melhor parar por aqui. Em tempos de Zorra Total é preciso maneirar, tudo vira piada e de gosto duvidoso.
Que estórie é essa de contar os micos? Tô fora, a Aninha que conte os dela(e só os dela, vejam bem!).
Quem possui telhado de vidro, não brinca com atiradeira(eu ía falar "estilingue", mas acho que ninguém nem sabe o que é isso!).
Bom final de semana.
Abraço forte

sábado, maio 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Pois é, Valter, vou ver se "posto" outra coisa logo, porque senão, vira Piadas do Manduca...
Por falar em estilingue, saiba que este termo é usado em Minas Gerais e São Paulo. No Rio, fala-se bodoque ou atiradeira. Eu ia dizer bodoque, mas como o Eduardo disse estiligue, resolvi manter o nome.
Grande abraço.

sábado, maio 19, 2007  

Postar um comentário

<< Home