13 agosto 2007

30 anos sem ELVIS PRESLEY


----------------------------------------------------------------------------------
Fenômeno musical conhecido como o Rei do Rock por duas décadas, Elvis Aron Presley nasceu em East Tupelo, Mississipi, USA, em 08/01/1935. No início de sua carreira, na década de 50 deram-lhe o apelido de Elvis, the Pelvis, pelo seu modo diferente e extravagante – para a época - de dançar. Segundo os especialistas, uma de suas maiores qualidades era a voz, que atingia notas impossíveis de serem alcançadas por um cantor de música popular, qualidade esta que só fez aumentar com a sua maturidade. É considerado como o melhor cantor popular do século XX, detendo até hoje o título de recordista mundial de canções nas paradas mundiais, com cerca de dois bilhões e meio de cópias vendidas.

Elvis interpretava bem todos os ritmos musicais. Love me Tender, Return do Sender, Surrender, Wooden Heart, It is Now or Never fizeram e fazem sucesso até os dias atuais. No cinema revelou-se como um bom ator destacando-se ao lado de atrizes famosas e dançarinas como Ann Margret, que contracenou com ele em Viva Las Vegas, filme que tive o prazer de assistir por três vezes no Cine Iporanga, Santos, SP, quando de seu lançamento no Brasil.

Elvis teria morrido em Memphis, Tennessee, USA, em 16/08/1977. Teria, porque existe uma versão corrente de que Elvis não morreu, mas que pressentindo seu declínio de popularidade se retirara para um lugar desconhecido onde viveria até hoje.

O corpo de Elvis foi oficialmente sepultado no Jardim da Meditação, no quintal de sua casa, em Graceland, Memphis, Tennessee. Na lápide o seu nome aparece escrito como “Elvis Aaron Presley”, ou seja, Aaron com dois “a”, o que não seria o certo, numa sutil insinuação de que ali não se encontra o corpo do verdadeiro Elvis Presley.

----------------------------------------------------------------------------------
Ofereço este post em memória de minha esposa, que foi uma admiradora de Elvis desde a adolescência.
( * ) Dados sobre a vida de Elvis Presley coletados em diversas fontes (Adelino P. Silva)
----------------------------------------------------------------------------------

34 Comments:

Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, parabéns pela oportuna lembrança.

A propósito de nostalgia, você sabia que o CPMF já tem 11 anos de sua criação como CONTRIBUIÇÃO PROVISÓRIA? Provisório....com todo esse tempo!
Você já assinou contra?
Assine e ajude a divulgar.
Vão mudar mais uma vez a CONSTITUIÇÃO e mexer no seu bolso!

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, o Elvis teve e ainda tem um público fiel. Fenômeno que ultrapassa os tempos. Particularmente, nunca fui fã dele. Mas, não posso deixar de reconhecer que foi um fenômeno mesmo.
Grande abraço

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, se não tiram por um lado tiram por outro. Podem até acabar com a CPMF, mas criarão outra. A democracia é bonita, mas é difícil. Constituição tão extensa e tão detalhada como a nossa (parece que feita assim de propósito para confundir) só serve para referendar atos que contra ela são praticados.

Sinto muito decepcioná-lo, Eduardo, mas não assinei, e nem vou assinar. Já cansei de assinar essas adesões que não deram em nada, apesar dos milhões de assinantes. Referendos aqui só são realizados quando o resultado deles são mais do que evidentes e interessantes para quem os promove.

E enquanto não se pode falar de todas as nostalgias (no sentido de saudade), Eduardo, é melhor mesmo ficarmos com saudosos das canções de Elvis Presley.
Grande abraço, um ótimo e criativo dia para você.
Adelino

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

É isso, Valter, ninguém é fan incondicional de nada. Pode até achar que é.
Eu gosto de todos os gêneros musicais, desde que a canção me agrade. Eu nao aguentaria passar um dia inteiro ouvindo Frank Sinatra. E muito menos Vicente Celestino, já imaginou?... Do Elvis, eu admirava a sua figura carismática, simples, humana, inteligente, e com todos os problemas e sentimentos inerentes a um jovem normal para a sua época. Ninguém é obrigado a gostar de tudo do Chico Buarque, do Milton Nascimento, do Gil, Jobim, Caetano, e tantos outros. Gosto até do Ivon Curi, como viu outro dia num post. E se o Valdick Soriano cantar alguma coisa bonita, difícil é verdade, ouço também... Há milhares que gostam.
Acho que me entendeu. Falo de nostalgia, mas sem radicalismos.
E assim como você, respeito todos os fenômenos artísticos mundiais de todos os tempos. Alguma coisa têm de bom, caso contrário a humanidade teria pirado de vez...
Um abração, Valter, e um ótimo dia de sol. E não se esqueça de pedir a notinha daquela cana, quer dizer, caldo de cana...
E me desculpe pelas brincadeiras.
Adelino

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Blogger Yvonne said...

Adelino, o Elvis fez sucesso quando eu era criança e por essa razão, não fui aquela fã que ele merecia, mas eu tinha uma vizinha um pouco mais velha que eu que tinha paixão por ele. Então, tome de Elvis o dia todo. Lembro de ir ao cinema para ver os filmes dele que eu simplesmente amava. Até hoje conservo em minha memória afetiva uma cena que ele estava no alto de um morro e se joga no mar. Acho que o nome do filme é "Feitiço Havaiano".
Recentemente passou na tv um monte de filmes dele e eu fiquei impressionada com o fato de que ele era um excelente ator dramático. O que eu via no cinema era só besteira, mas os que passaram na tv são ótimos.
Essa história de que ele não morreu é ridícula. Beijocas

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Blogger marilia said...

Adê...que lindo! eu gosto do Elvis muito mais hoje que naquela época, tive uma prima, que era apixonada e usou luto qdo ele morreu...rsss antigamente os idolos eram mesmo adorados.
Mas, o elvis é de um tempo que eu era muito pequena..nasci em 1953...rsss
e minha paixão foram outros.
Mas tem algumas musicas, que só o elvis..e achei um barato a homenagem...
vcs degvem ter "a ' musica...
que ela lhe traga sempre as boas lembranças...
bjão amigo!

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Blogger Lord Broken Pottery said...

Adelino,
Trinta anos? E quem disse que ele morreu? Deve ser alguma armação. Elvis, John Lennon, George Harrison, Elis Regina, Jimmy Hendrix, Janis Joplin, todos estão vivíssimos. É tudo uma jogada de marketing. Um dia aparecerão em um grande show. Elvis, para delírio de todos nós, cantará Heartbreak Hotel e Blue Suede Shoes.
Abração

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Yvonne, quando Elvis começou a aparecer, a gente ria do modo dele dançar, achava até que era gozação, com aquele topete, que era moda na ocasião. Mal sabíamos nós que se tratava de um grande artista. Sinceramente, Yvonne, apesar dele ter se destacado em papéis mais sérios, a imagem que guardo dele em filmes foi em Viva Las Vegas, com a linda Ann Margret, com quem aliás ele teria tido um caso durante as filmagens. Diziam até que nas cenas românticas eles não representavam.

Quanto à lenda de que não morreu, apesar do destaque que dei no post como curiosidade, também acho que é coisa dos americanos, que adoram essas coisas. Falam a mesma coisa do James Dean e de outros.
Beijos

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Blogue da Magui said...

Belíssima homenagem .Ainda mais a escolha do Youtube entre tantos outros que tem lá.Meu blgoue tem como ponto central Elvis que amo desde qeu apareceu.Hojeem dia, infelizmente, as mulerhes continuam amando Elvis e os homens tentam apoderaa-se dle ou de suaimagem apra escrever cada coisa de arrepiar os cabelos.Vc soube dar destaque ao verdadeiro Elvis.Se vc quiser ver Graceland hoje tem o primeiro link nos lincados do meu blogue que mostra. Foi Yvonne quem disse que vc homenageou Elvis.Elvis não vai morrer enquanto houver quem o ame como ele gostava de ser amado.

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Yvonne, veja quanta "coisa" eu escrevi no último parágrafo do meu comentário:

(...) também acho que é coisa dos americanos, que adoram essas coisas. Falam a mesma coisa do James Dean e de outros."

que "coisa", não é? É porque o meu "visualizar" não funciona. Aí, mando publicar do jeito que sai...
Bjs

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Marilia, em 1953 o Garrincha começava a aparecer. O goleiro do Atlético era Luiz Borracha (era?)... Juscelino governava MG e Getúlio, o Brasil. Eisenhower era o presidente dos USA. O Elvis devia estar cantando músicas religiosas.
Os americanos cultuam os seus grandes personagens de todos os setores de atividade. Aqui, ouvimos muitos jovens dizerem: não sei quem foi Noel Rosa; eu não era nascido... Quer dizer, a História começa com o nascimento deles. Mas tudo bem.
Beijos, e obrigado por tudo.

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Magui, é verdade que ao governo americano era interessante ter uma figura tão querida e popular quanto Elvis Presley integrando o seu Exército na Alemanha dividida. Mas ele foi lá cumprir o seu dever, com ou sem regalias. Já imaginou aqui uma "celebridade" numa missão dessas? Servir às Forças Armadas?
A difereneça está aí. Apenas uma das diferenças.

Vou falar pouco porque o assunto é polêmico, e eu tenho de ir ao seu blog agorinha mesmo.
Beijos

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Lord Broken, eu vejo uma grande diferença entre o culto às memória de um artista e de um político. Enquanto o artista está aí vivo em suas canções, filmes ou livros escritos, o político está aí onde? Em seus discursos nos "anais do Congresso" ou em nomes de ruas? Quem os lê ou sabe quem foram?
É uma comparação meio estranha que faço (usei o político por acaso), mas é por isso que esses artistas realmente não morreram.
Pelo menos na memória dos seus admiradores.
Grande abraço

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, lamento sua posição derrotista diante de problemas constantes que a democracia nos apresenta. Perdemos umas ,mas só participando, poderemos ganhar outras. Respeito seu direito de discordar, e lamento que os mais humildes continuem a ter parte dos seus poucos cruzados custeando bandalheiras desses corruptos que nos dirigem, aparelham o Estado e pretendem controlar as comunicações e se perpetuarem no poder!

Espero que nossas atuais desavenças conceituais políticas não abalem nossos gostos nostálgicos!

Forte abraço.

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous denise said...

Adelino, eu era menina, mas amava ouvir as canções do Elvis. Assisti a todos os filmes na tevê, repetidas vezes.E se passar de novo, assisto ...
Meu querido, não esqueça de colocar seu link nos comentários, tá. Esqueceu a lição que a tia passou? hehe..
abraço, garoto

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Caro Eduardo, tudo bem. É a sua opinião, e eu a respeito. O assunto é muito complexo para ser debatido em poucas palavras e num simples comentário.
Se quando criada, Eduardo, a CPMF tivesse caracteristica de PERMANENTE, isto legitimaria a cobrança? É meio difícil, Eduardo.
Segundo o próprio governo tem muita gente que não quer emprego de carteira assinada porque perde o direito ao vale-isso, vale-aquilo.
Hoje o pai é premiado com dinheiro para matricular o filho na escola. Houve tempo que era o contrário: o pai que não matriculasse o filho era punido. Havia boas escolassobrando. E bons professores.

Quanto a ser nostálgico, já esclareci que não sou radical. Basta ver os posts e meus comentários em blogs dos amigos, meu caríssimo e prezado Eduardo. Compareça sempre.
Pena, mas o propósito deste blog não foi o de discutir questões polêmicas, tanto que raramente falamos de futebol, política, religião ou economia, pois para isso já existem centenas de blogs melhores do que este simples espaço.
Grande abraço. Eduardo. Sua presença é importante, pois ela somente contribui para abrilhantar os nossos comentarios.
Abraços

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Anonymous Adelino said...

Muito obrigado, Denise.
Compareça sempre. Procurarei colocar o link nos comentários que fizer em outros blogs.
Aliás, você esqueceu de colocar o seu, garota...
Beijos

quarta-feira, agosto 15, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, o blog é seu, e quem nele manda é você. Nós o visitamos porque gostamos dele ou de você. No meu caso dos dois!

Forte abraço, e não se fala mais em coisa séria. Desculpe ter inveredado por áreas alheias a este, simpatissíssimo, blog!

Abração do amigo ,

quinta-feira, agosto 16, 2007  
Blogger marilia said...

Adelino, fiquei super feliz com a fulô, e hoje a aninha mineirasuai vem aqui me fazer o maior carinho...ela vai me ensinar a colocar musica e youtube no meu blog! estou adorando!
abraços , amigão

quinta-feira, agosto 16, 2007  
Anonymous Adelino said...

Certo, Marilia.
Já estive lá no ALVARENGA SEMPRE, ontem.
Beijos

quinta-feira, agosto 16, 2007  
Anonymous Adelino said...

Caro Eduardo, eu creio e muito na sinceridade de suas palavras e lhe agradeço por elas. E compreendo perfeitamente o que você escreveu. Certa vez uma pessoa amiga disse: “Ah, as comunicações...”
Eu, por exemplo, acho que um tema pode ser polêmico e não ser sério, assim como pode ser sério e não ser polêmico. O conceito de sério, para mim, é um tanto subjetivo. Por isso, caro Eduardo, eu até fui dar uma olhada em todos os meus posts, e achei que tivemos sim alguns momentos em que falamos de coisas sérias. Vejamos:

1 – Post (atendendo ao seu pedido) “A SOCIEDADE EXIGE RESPEITO", com link para o VARAL DE IDÉIAS, sobre o acidente com o avião da TAM, em Congonhas;
2 – Post "SEM COMENTÁRIOS", de indignação, quando do frio assassinato do menino num roubo de carro;
3 - Posts em homenagem aos grandes artistas Ivon Curi (cantor) e Pedrinho Mattar (pianista);
4 - Post sobre os Jogos Pan-Americanos;
5 – Post listando cinco dos meus livros prediletos (importante para mim, no caso);
6 – Post “DIAS DAS MÃES” (para todos, creio);
7 – Post “AUSTREGÉSILO DE ATHAYDE” (relembrando o velho acadêmico);
8 – Post “REPORTAGEM “ATUAL” ”, sobre os problemas enfrentados pelos controladores de vôo já há 15, 20 anos passados;
9 – Post para o aniversário de minha filha (piegas, mas foi sério);
10 – Um post para Elvis Presley dedicado à memória de minha esposa, que era fã dele;
11 – E ainda tem permanentemente um link para o ótimo VARAL DE IDÉIAS, onde infelizmente comento pouco por causa de problema de acesso no meu PC, mas visito sempre e admiro muito.

Pelo menos quanto a estes, Eduardo, acho que concordamos que foram temas sérios.
E nada de desculpas. Não é porque o blog é meu que não possamos discordar de um comentário. Se não, caímos naqueles terríveis "olá, passei pra te ver", "estive aqui, beijos" "Saudades de ti..." etc, não acha?

Se eu disse alguma coisa que não ficou bem entendida, a culpa é minha, e só me resta lamentar. E veja como são as coisas: se eu tivesse mentido e dissesse que tinha assinado e divulgado o manifesto contra a prorrogação da CPMF neste momento não estaríamos aqui lendo um comentário tão extenso. Mas vale a pena dizer a verdade.

Um grande abraço, amigo Eduardo.
Comente e sugira sempre. E malhe quando tiver de malhar.
Adelino

quinta-feira, agosto 16, 2007  
Anonymous strixflamea@bol.com.br said...

Youtube - Women In Film
Sem palavras.
Strix.

quinta-feira, agosto 16, 2007  
Blogger Vivien Morgato : said...

Eu tinha nove anos quando Elvis morreu. Contei uma vez no blog...chorei muito, porque era meu "herói".
Hoje percebo sua ambiguidade e me interesso ainda mais: um homem conservador e ao mesmo tempo revolucionário musicalmente, criando e remodelando estilos, requebrando como um doido.
Lindo de morrer.;0)

quinta-feira, agosto 16, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino/Eduardo,
é por essas e outras, que gosto tanto de vocês. Tudo está bem, quando acaba bem e nada como um espaço democrático, e ou não é?
Grande abraço aos dois amigos

quinta-feira, agosto 16, 2007  
Blogger Luci Lacey said...

Adelino

Ontem ci varios videos do Elvis, mas este seu e lindo, deu um sentimento gostoso.

Uma pena ele ter ido tao cedo.

Beijinhos e boa Sexta

sexta-feira, agosto 17, 2007  
Blogger Cristiane said...

Caro amigo,
Tenho sentido a sua falta viu?
Sabe que adoro Elvis?
Adoro....rs

Estou te esperando para uma comemoração lá no Fragmentos tá?
Um beijo e um bom fim de semana, Cris1

sexta-feira, agosto 17, 2007  
Anonymous Adelino said...

Vivien, apesar dos outros grandes nomes da época, inegavelmente Elvis foi o maior deles, na minha opinião, claro.
Araços, Vivien.
Adelino

quinta-feira, agosto 23, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, estou escrevendo hoje, 23/08. Você tem toda razão. Não podia ser de outra forma. O Eduardo é do "nosso time"...
Grande abraço
Adelino

quinta-feira, agosto 23, 2007  
Anonymous Adelino said...

Luci, desculpe-me pelo atraso, mas estou escrevendo hoje, 23.
Vimos todos os filmes de Elvis, desde aqueles românticos passados nas Ilhas do Havaí, realizados mais como pretexto para que ele cantasse suas canções. Vimos também os mais sérios. Entretanto, de todos, o que mais me agradou, talvez pela presença marcante de Ann Margret foi mesmo Viva Las Vegas.
Beijos, e boa semana pra você também. Não somente esta que está se encerrando como a outra que vai se iniciar.
Adelino

quinta-feira, agosto 23, 2007  
Anonymous Adelino said...

Cristiane, estou escrevendo com algum atraso. Já estive lá no Fragmentos. Como sempre, gostei muito.
Obrigado pelo carinho,
Beijos
Adelino

quinta-feira, agosto 23, 2007  
Blogger Kenys said...

OLá, Adelino.
Eu quis postar sobre os 30 anos do elvis tbm, mas devido a problemas em meu blog não tive a oportunidade.
Como vc consegue colocar o vídeo do youtube? rs
eu tbm não consigo mais.
Fiquei tão triste, pois queria colocar aquele lindo vídeo que me mandou do Elvis cantando com uma marionete.
Beijos

quinta-feira, agosto 23, 2007  
Anonymous Adelino said...

Olá, Kenys. Vou lhe explicar num e-mail, ok? Aguarde.
Beijos

quinta-feira, agosto 23, 2007  
Anonymous Adelino said...

Strix, parece que pulei o seu comentário. Grande indicação. Valeu.
Abraços
Adelino

quinta-feira, agosto 23, 2007  
Anonymous Anônimo said...

Digo a todos que postaram algum comentário ou até um sentimento por Elvis que devemos toda vez que falar, ouvirmos sobre este grande astro estar sempre ciente que ele sofreu com o preço, que por sinal muito alto, da fama, contudo tenho a certeza que apesar do seu lado psicológico ter sofrido diversos abalos, sua verdadeira raiz jamais fora esquecida.Desta forma devemos estar sempre alerta, mesmo que nosso sucesso seja em proporções menores em relação ao eterno REI do rock, nunca esquecermos verdadeiramente de onde começamos. Digo a todos que postaram algum comentário ou até um sentimento por Elvis que devemos toda vez que falar, ouvirmos sobre este grande astro estar sempre ciente que ele sofreu com o preço, que por sinal muito alto, da fama, contudo tenho a certeza que apesar do seu lado psicológico ter sofrido diversos abalos, sua verdadeira raiz jamais fora esquecida.Desta forma devemos estar sempre alerta, mesmo que nosso sucesso seja em proporções menores em relação ao eterno REI do rock, nunca esquecermos verdadeiramente de onde começamos.

sexta-feira, setembro 28, 2007  

Postar um comentário

<< Home