07 agosto 2007

E-MAIL IMPORTANTE

----------------------------------------------------------------------------------
Nem sei se é original, mas "recebi" este e-mail cujo teor resolvi tornar público:
----------------------------------------------------------------------------------
“Como está você, Adelino? Quero que saiba que nunca te esqueço. Ainda no sábado eu te vi numa feira de antiguidades transitando em meio a barracas de velhas estatuetas, imagens, livros, revistas, histórias em quadrinhos. Parava, falava com um vendedor ou vendedora, conversava, e até sorria. Ficou lá por uma hora, até que comprou alguma coisa e se retirou.

Esperei que viesse até o meu estande, mas não veio. Passou por ele sem muito interesse. Chovia fino e minhas lágrimas se misturaram às gotinhas que caíam. Mesmo assim não desisto de dizer que estou tentando falar contigo.

Tenho te mandado mensagens, Adelino, no canto dos pássaros que você tanto gosta, numa flor bonita que fotografa, numa plantinha que planta, na luz do sol, numa canção bem ao seu estilo antigão por vezes brega. Mas você parece não notar o quanto desejo estar ao seu lado, pois se estiver triste compartilharei da sua tristeza.

E se eu pudesse te apresentaria ao meu pai e à minha mãe, que não te conhecem, mas te gostam, de tanto que falo em você. Não sei se é solteiro, casado, separado, divorciado. Pouco importa. Só gostaria que se dirigisse a mim por uns instantes, e o que for para o seu benefício eu farei.

Desculpe por te ter tomado muito tempo lendo este e-mail, mas eu não poderia esperar mais para te dizer uma grande verdade: eu te amo muito, mais do que você imagina. Quando quiser conversar comigo é só me chamar. Afinal, Adelino, sou também seu maior e mais fiel amigo.

(a.) Jesus de Nazaré, Filho de Maria.”

----------------------------------------------------------------------------------

14 Comments:

Blogger Luci Lacey said...

Oi Adelino

Lindo, lindo.

Somos tao desligados das mensagens de Cristo e nao adianta sem ele nao somos nada e nao vamos a lugar nenhum.

Beijinhos e boa Quarta

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Ah! Adelino, já estava até pensando na roupa que iria usar no dia do casamento.
Sei não, mas alguém está usando pseudônimo para lhe fazer uma declaração de amor.
De qualquer forma, se for casamento à vista, não se esuqeça de convidar para madrinha, ou apenas convidada.
Estarei na primeira fila para testemunhar um bom momento.
Um beijo.
Ah! A Luci fez um post do livro do bem.

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Anonymous Adelino said...

Foi até bom você falar sobre isso, Anna, para que eu possa me explicar melhor.
O tal e-mail não existe, mas a mensagem dele deve ter sido "conduzida" por quem o “assina”. É fictício de verdade.

Explico: por coincidência, ontem na rua entregaram-se uma papeleta com um texto enorme, em letras miudinhas. Normalmente, até por educação, eu pego, dou uma olhada e mais à frente amasso e jogo na primeira caixa coletora de lixo que encontro.

Como acontece com todo mundo às vezes somos tomados por uma onda de tristeza, quase desânimo. Eu acho que eu estava assim. Eu me interessei por aquele papelzinho por causa da primeira frase: “Como está?” Parecia uma mensagem pra mim, mas falava de um modo muito genérico. Eu aproveitei a idéia central, e o adaptei à minha pessoa especificamente, os lugares que visito, meus gostos etc. Resumindo: transformei o texto original reduzindo-a a cerca de 10 por cento do que era (não dei o crédito porque não tinha o nome, isto é, até que tinha). Fiz, como disse, eu próprio uma mensagem para mim mesmo, pois
ultimamente andava um pouco sem fé, meio afastado. E o tal “e-mail” me aproximou mais agora.

Não existe admiradora secreta mandando e-mail anônimo, existe sim o “Amigo” que assina o tal do “e-mail (muito) importante”.

Grande abraço, Anna, muito obrigado por ter me proporcionado dar esta explicação.

PS – Anna, cá entre nós, eu postei o “e-mail” ontem. À noite, pensei bem, e hoje de manhã vim rápido ao PC para retirá-lo, mas já tinha um comentário.
Seria um desrespeito tirar o post do ar. Aí deixei. Tudo bem.
Adelino

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Blogger Yvonne said...

Adelino, achei muito lindo. Gostaria muito de receber uma carta do Cristo, no momento estou precisando muito dele. Beijocas

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Blogger Lord Broken Pottery said...

Adelino,
Acho bacana as pessoas terem o conforto da fé. Não tenho essa dádiva.
Grande abraço

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, não tinha entendido assim. Agora vou reler.

Abçs

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Anonymous Adelino said...

Então, Yvonne, como podemos sentir, Ele está sempre pronto a nos auxiliar, mas nem sempre Lhe damos a devida atenção, e nem atendemos aos seus acenos.
Beijos

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Anonymous Adelino said...

Lord Broken, eu também sou meio descrente. Desde dezembro do ano passado passei a ir à Missa aos domingos. Vejo pessoas muito fervorosas. E tenho por vezes a mesma sensação que você, ou seja, gostaria de ter um pouco mais de fé.
Grande abraço
Adelino
PS - Lord, ontem estive com um dos seus livros nas mãos, na Livraria Ciência Moderna. Eu estava meio apressado, e acabei para a próxima vez.
Aps

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, acho que compliquei um pouco. "Forjei" uma mensagem que eu gostaria de ter recebido. Em mais de 100 posts este é o segundo que faço sem imagens. Nem sabia o que colocar. Mas tudo bem. Penso que embora complicado consegui transmitir o que eu queria.
Grande abraço

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Anonymous Adelino said...

Luci, é mesmo assim. Muitas vezes, só mais tarde compreendemos que determinados acontecimentos contrários à nossa vontade, na verdade não deveriam se constituir em frustação, mas em regozijo, agradecimento.
Beijos e boa quinta-feira.
Adelino

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Blogger marilia said...

Adelino,meu amigo...hoje estou com muita sorte. Li tres post com textos lindos, passei por blogs amigos com noticias interessantes e assuntos diversos. agora, em casa, resolvo te visitar, e sou eu quem fui visitada por tão bela mensagem de amor e fé.
Eu, apesar do analista pretender me tirar todas as minhas maluquices,uma ela não vai conseguir :...eu acredito na fé.
Um abração...

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

E quantas vezes Ele quer nos falar e não damos importância pois estamos absortos em preocupações que d'Ele esquecemos.
Belo texto.
noite feliz
beijos

quarta-feira, agosto 08, 2007  
Anonymous Adelino said...

Obrigado, Marilia. Este post nem deveria ter saído. Eu o escrevi somente para mim. O e-mail não existiu, mas acabou vindo parar aqui. Mas se serviu para alguma reflexão interior pelo menos cumpriu em parte o seu papel.
Ter fé, Marilia, não é maluquice. Pelo contrário. É um privilégio.
Beijos
Adelino
PS - Marilia, como eu disse à Anninha, de manhã eu vim ao PC para "tirar do ar" o post, pois na noite anterior, pensando melhor eu achei o tema um tanto pessoal, ainda que pura ficção. Isso reforça um antigo ditado que diz assim: "Jamais tome decisões à noite". O motivo não sei. Talvez você, como psicóloga explique.
Beijos
Aps

quinta-feira, agosto 09, 2007  
Anonymous Adelino said...

É isto mesmo, Márcia. Quantas mensagens não estarão contidas em coisas simples que muitas vezes nos irritam, como um celular desligado, um táxi que não pára pra gente, um pneu vasio, um e-mail que não chegou ou que chegou, uma latinha de Coca-Cola que virou em cima da mesa, no açúcar derramado, e por aí vai.
Quem sabe nesses pequeninos acontecimentos estariam encerradas as grandes mensagens? Basta ter fé.
Obrigado, Márcia.
Grande abraço.
Adelino

quinta-feira, agosto 09, 2007  

Postar um comentário

<< Home