29 julho 2007

PRESENTE VALIOSO



----------------------------------------------------------------------------------
Sempre tive um carinho muito especial pelo jornal CORREIO DA MANHÃ, há tempos extinto. Fui seu assinante quando o Correio era considerado dos mais conceituadose e influentes jornais do país ao lado do DIÁRIO DE NOTÍCIAS, do JORNAL DO BRASIL e do ESTADO DE SÃO PAULO. No Correio, sem que eu soubesse, saiu uma notinha social sobre o meu casamento. Casamento que durou 39 anos, só terminado - infelizmente - para cumprir o item da promessa "até que a morte os separe".

Esta lembrança vem a propósito do que aconteceu nesta última quinta-feira. Aproveitando a presença de meu filho mais novo a Juiz de Fora, que lá estivera a serviço, a Helô carinhosamente fê-lo portador de um maravilhoso e raro presente: um exemplar do ALMANAQUE DO CORREIO DA MANHÃ 1943. Não sou pessoa de esconder sentimentos. Fiquei emocionado pelo carinho da lembrança. Lembrança tão mais valiosa quando sei que para isso ela desfalcou um conjunto composto de outros seis exemplares que possui, de 1941 a 1946.

E eu fiquei sem palavras. Fiquei, porque acho que apenas um "muito obrigado" é pouco para tanto carinho e sensibilidade. E nem sei se ela vai aprovar o fato de eu ter revelado publicamente gesto tão bonito e espontâneo. Mas não importa "Muito obrigado, querida amiga Heloisa. Espero que não se arrependa, porque não vou lhe devolver nunca esta relíquia com que me presenteou. Beijos. Adelino."

----------------------------------------------------------------------------------
Imagens escaneadas dos orignais (Adelino P. Silva)
----------------------------------------------------------------------------------

52 Comments:

Anonymous Helô said...

Bom dia, Adelino.
Se ao decidir presenteá-lo com o Almanaque eu já possuía a certeza de que não me arrependeria, agora estou ainda mais feliz sabendo o quanto você o valorizou.
Só espero que ninguém pense que apareço na foto da Mulher Brasileira na Guerra :))
Beijos.

segunda-feira, julho 30, 2007  
Anonymous Adelino said...

Helô, fiquei indeciso entre tantas fotos e gravuras interessantes do Almanaque.
Tinha Hitler, Mussolinni, Gal. MacArthur, Stalin, Pétain, Hiroito, DeGaulle, Marechal Timoshenko, Timoshilov, o Ministro Osvaldo Aranha, Don Sebastão Leme... Eleições nos USA, figurinhas premiadas de Mickey Mouse, anúncios da Malzbier, do Hepacholan para o fígado, do Fontol, do Óleo de Fígado de Bacalhau, da Esquina da Sorte, do Xarope Sao João (contra "bronchite" e "grippe"), da Confeitaria Colombo (Gonçalves Dias, 23)... Um comercial do Departamento Nacional do Café (na 4. contra-capa colorida) com uma frase de Olavo Bilac: "O CAFÉ NO BRASIL É O INSTRUMENTO DA CONCÓRDIA, O VEÍCULO DA HOSPITALIDADE... E mandava: "Deposite suas economias na CAIXA ECONÔMICA FEDERAL"... Fotos de Getúlio Vargas como sempre inaugurando alguma coisa, artigos como "Pensemos na Conservação do Solo", "Que é erosão do Solo. como combatê-la?"
(uffa...). Tinha até Ghandi...
Pois é, fui escolher logo aquela da mulher brasileira na guerra... Como as mulheres são encantadoramente vaidosas!!! "Eu não estava lá, apressou-se você em dizer..." Claro que você não estava. Se ainda fosse de uns 45 anos depois ainda podia ser...
Sabe porque escolhi aquela foto? Se fosse escanear outra página, poderia prejudicar o Almanaque, tão bem conservado...
Nossa, como escrevi, mas o esclarecimento se fazia necessário...
Beijos, Helô, e mais uma vez, obrigado. Viu como deu um post legal?

segunda-feira, julho 30, 2007  
Blogger Lord Broken Pottery said...

Adelino,
Esse é o chamado presentão, de se pegar com luvas de pelica. Imagino o quanto você está se divertindo com ele. É de se ler bem de vagarinho, saboreando, com se fosse um doce gostoso.
Grande abraço

segunda-feira, julho 30, 2007  
Blogger marilia said...

Adelino, que coisa simpática ter amigos que se recordam de detalhes que nos fazem felizes!
vc merece, apesar de estar na minha listinha negra( vc e o valter),mas...rsss
não perdem por esperar!!!!
Um abraço, e quero te dar os parbéns por ter escaneado tão bem...vc é fera no CP....
bjos e boa semana!

segunda-feira, julho 30, 2007  
Blogger Vivien said...

Um presente maravilhoso e um agradecimento muito delicado, uma delicia de post!

segunda-feira, julho 30, 2007  
Blogger Sonia said...

Que bela lembrança, Adelino! A Helô foi mesmo muito gentil! Li muito o Correio da Manhã e admirava a Niomar Bittencourt. Abraços!

PS: Aproveito para enviar um abração à Helô. Estou com saudades de seu texto inteligente e cheio de humor! Dei risada quando você escreveu que não aparece na foto! Imagine! Beijos para você!

segunda-feira, julho 30, 2007  
Anonymous Adelino said...

Lord, é verdade, quando a gente pega uma publicação antiga como essa e fica lendo, folheando, olhando os "anúncios", as notas, as "efemérides", parece que estamos naquela época, diferente dos dias de hoje, tão agitados, onde as pessoas não mais vivem, mas sobrevivem.
Grande abraço

segunda-feira, julho 30, 2007  
Anonymous Adelino said...

Aliás, Marilia, vou lhe confessar uma coisa: eu me sinto muito orgulhoso de ter pessoas como vocês tão assiduas com suas observações sempre inteligentes, cheias de incentivo e palavras carinhosas.

Agora, cá entre nós, por que o Valter e eu estamos na sua listinha negra? Nós não fizemos nada, a culpada foi você que ofereceu "matéria prima" para as nossas eventuais gozações... Estamos esperando a revanche.
Beijos
PS - Marilia, definitivamente: as coisas antigas é que são boas, e olha que não querendo puxar a brasa para a sardinha do Valter não... Você sabe que abandonei um scanner novinho e passei a usar apenas o velho, de mais de 12 anos? Imagine: o novinho pifou, mas o velho está dando conta do recado. Por isso talvez o seu elogio ao escaneamento que achou legal.
Bjs
aps

segunda-feira, julho 30, 2007  
Anonymous Adelino said...

Obrigado, Viven, a Helô é uma "caixinha de supresas" agradáveis e criativas.
Esbanja sensibilidade.
Fico alegre em saber que gostou do post.
Abraços

segunda-feira, julho 30, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino,
são essas coisas que dão sabor à vida da gente. não é mesmo?
Hoje logo pela manhã recebí dos presentes. Dizem respeito à publicação do livro. Estou feliz demais. Dei o start prá editora!
Agora, a Marília entrega o ouro prá gente e não quer que a gente aproveite?
Queria te dizer que o seu comentário lá no blog dela, foi direto, na mosca. Daria um belo post. Vamos pensar no assunto?
Puxa! estou com saudades da Helô, bem que ela podia voltar, né não?
Grande abraço, meu amigo

ps: vai guardando dinheiro que vai ter lançamento no Rio tá?

segunda-feira, julho 30, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sônia, o Correio da Manhã foi um dos maiores jornais do Brasil. E uma lembro que ele tinha uma agência ali no Edifício Central, e sua sede ficava perto de onde hoje é a TVE. Já no iníio da década de 60 promovia excursões ecológicas ao Alto da Boavista. A turma saía da Praça Saenz Peña no bonde do Alto, e passava o dia na floresta, plantava árvores, comemorando aniversários, desenvolvia atividades culturais. Bons tempos.
Quanto à nossa querida Helô precisamos promover uma passeata na Rua Halfeld bem na hora do rush com faixas assim: HELÔ JÁ!
Beijos

segunda-feira, julho 30, 2007  
Anonymous Adelino said...

Olá, Valter, fiquei muito feliz por você, meu caro, sinceramente. Claro que vou juntando uns trocados para o lançamento aqui no Rio.

Engraçado este mundo blogueiro, falo tanto de vocês todos para os meus familiares que já se tornaram nossos conhecidos.

E então, Valter, a Helô precisa voltar. Ela me incentivou para a criação do blog, me ensinou muitas coisas (aliás está me devendo um tal de controle estatístico), mas sumiu do Banana&Etc. Fica só pesquisando música. Eu até disse à Sonia: vamos colocar faixas na Rua Halfeld na hora do rush: HELÔ JÁ!!!...

E viu a Marilia? Disse que estamos na listinha negra dela... Não sei por quê. Ela entrega o ouro e depois reclama.

Obrigado pelo elogio ao comentário no Alvarenga Sempre.

Grande abraço, Valter. Aqui faz um frio incrível. Encontrei com um vizinho que correu de Friburgo porque, segundo ele, lá chegou a ZERO GRAUS.
Adelino

segunda-feira, julho 30, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino,
vamos botar o movimento: Helô, volta!
Quando a gente começa a se apegar e a pesssoa pára é muito chato.
Vamos lá,
Volta Helô, parou por quê?
Abração
ps: a Marilia é danadinha mesmo. Deixa que eu acerto o passo dela.
ps2) Você viu como o Eduardo anda pianinho, nem aparece mais para a gente zoar com ele, né?

terça-feira, julho 31, 2007  
Blogger Yvonne said...

Adelino, você jura que postou este texto no dia 29? Rapaz, eu estou pior do que pensava, pois ontem eu visitei todos os blogs da minha lista e não vi esse post (leia o meu último post que eu falo que eu ando desmemoriada).

Pois bem, infelizmente não li esse jornal, visto que ele faliu há muitos anos e naquela época eu não me interessava por jornais, mas lembro bem das tirinhas, em especial "Os sobrinhos do capitão" ou "Reizinho", ou os dois. Eu sempre corria atrás das tirinhas.

Achei legal esse presente que você ganhou, foi um carinho enorme.
Beijocas

terça-feira, julho 31, 2007  
Blogger david santos said...

POR MUITO QUE CUSTE A MUITA “BOA” GENTE, NÃO VAMOS DEIXÁ-LO ESQUECER.

Esta semana venho incomodar todos os blogues brasileiros. E por quê? Porque não quero que esta data fique esquecida. Mas que data? Pois é, é mesmo isso! Este ano, de 2007 faz 160 “cento e sessenta anos”, que nasceu um grande vulto da poesia brasileira. Quem foi?
Faz também este ano, 2007, 136 “cento e trinta e seis anos” a data do seu falecimento.
Quem foi?

Eu não devia ajudar nada, mas vou-vos dar um cheirinho: “Espumas Flutuantes”, Salvador da Bahia, 1870.

Quem souber, pode deixar a resposta no meu último poste.
Quem não sou, tenha a dignidade de perguntar no mesmo local. Pois aprender não enche barriga nem mata miolo.

Esquecê-lo, é admitir já não haver escravidão.
Esquecê-lo, é admitir que político, não é vigarista, não.
Esquecê-lo, é admitir que a morte de centenas de vidas, não é CULPA do desleixo, mas do avião.
Esquecê-lo, é chamar honesto ao político, quando ele é ladrão.
Esquecê-lo, é admitir o bandido dormir e sonhar em coisa boa, armar-se em bom...
Esquecê-lo, é admitir que toda esta gente não vai um dia parar à prisão.

David Santos

terça-feira, julho 31, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Adelino, quanto carinho da Helô.
Mas você bem merece.
Agora estou engrosando a lista dos que querem a volta da Helô.
Helô querida, gostamos muito de você, volta a nos fazer companhia.
Agora por favor, vê se você e o Valter dão uma folga prá pobre da Marília, "pô", ninguém merece uns amigos assim.
Um abraço e aproveito prá mandar um beijão prá Helô.

terça-feira, julho 31, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, antes de qualquer coisa quero corrigir o que escrevi: ZERO GRAU e não ZERO GRAUS... Não é isto?

Eu já levantei a bandeira do HELÔ VOLTA! há algum tempo. Vamos ver se o clamor dos blogueiros chegará às Minas Gerais...

É mesmo, Valter, o Eduardo anda pianinho. Será o frio? Se ele aparecer vai sobrar menos zoação pra Marilia... Metade pra cada um.

Grande abraço.

terça-feira, julho 31, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, antes de qualquer coisa quero corrigir o que escrevi: ZERO GRAU e não ZERO GRAUS... Não é isto?

Eu já levantei a bandeira do HELÔ VOLTA! há algum tempo. Vamos ver se o clamor dos blogueiros chegará às Minas Gerais...

É mesmo, Valter, o Eduardo anda pianinho. Será o frio? Se ele aparecer vai sobrar menos zoação pra Marilia... Metade pra cada um.

Grande abraço.

terça-feira, julho 31, 2007  
Anonymous Adelino said...

David Santos, fiquei muito honrado e agradecido com a sua visita, meu caro.
Acho que vou dar um palpite: o poeta é CASTRO ALVES... Acertei?
Depois vou lá fazer-te uma visita.
Um abraço

terça-feira, julho 31, 2007  
Anonymous Adelino said...

Yvonne, do jeito que o meu PC está pode até ser que o post tenha entrado, dado uma olhada na platéia e voltado para os bastidores. Mas creio que não. De qualquer forma, obrigado por suas palavras.

Você me fez lembrar agora que o CORREIO DA MANHÃ trazia aos domingos um excelente suplemento de história em quadrinhos, colorido, tamanho tablóide. E
achei bacana você falar do personagem REIZINHO. Foi o primeiro desenho que fiz quando criança. Era fácil de desenhar, poucos traços, poucos detalhes. E não tinha balões, era quase uma charge. Gostei da sua lembrança. E os SOBRINHOS DO CAPITÃO, ótimo também.

A Helô foi muito carinhosa presenteando-me com o Almanaque, Yvonne. Como eu disse, um presente que teve o seu valor sentimental aumentado porque a edição de 1943 saiu diretamente da coleção dela de 1941 a 1946 para a minha... A Helô é mesmo um amor de pessoa. Torcemos para que ela reative o Banana...
Beijos. Obrigado pelo prestígio.

terça-feira, julho 31, 2007  
Anonymous Adelino said...

Anna, a Helô é tudo o que eu disse para a Yvonne. Eu também a quero de volta. Mas ela saberá o momento certo de retornar. Ainda assim vamos estender faixas na Rua Halfeld em frente ao Cine Central: HELÔ VOLTE JÁ!

Quanto a Marilia, Anna, ela disse que Valter e eu estamos na lista negra dela. E não sabemos o motivo de medida tão drástica. O que acontece é que ela nos fornece "material" para zoação e depois reclama.
O mesmo andou acontecendo com o Eduardo. Só que o Eduardo, mais relax, não nos ameaçou ainda, não é Valter? E olha que, por delicadeza minha e do Valter, nem insistimos para que ele contasse o que aconteceu na revista LIFE...
Um abraço, Anna.

terça-feira, julho 31, 2007  
Blogger marilia said...

Boas noites Adelino!
E ai, já se curou da ressaca do PAN???
Passei mesmo so pra te dar um oi!

terça-feira, julho 31, 2007  
Blogger Cristiane said...

Realmente Adelino, carinho e sensibilidade não tem preço, belos presentes...
Te espero lá no blog para uma semana especial tá?
Beijos, Cris

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Blogger Sandra Cristina said...

Parabéns! Que linda sua declaração de carinho e agradecimento a sua amiga.
Encontrei seu link na página da Yvonne, gostei daqui... virei visita-lo mais vezes.
Boa quarta-feira

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Anonymous Adelino said...

Marilia, já sim, estou curado da ressaca do PAN. Eu queria assistir a muitos jogos, mas quando via a hora já tinha passado. Uma zorra total, mas a culpa era minha mesmo, que estava acostumado com o hábito brasileiro de nada começar no horário estipulado.

Ah mas tem uma coisa: quem está num porre homérico é o meu PC, Marilia. A Internet travou, mas dei um jeito. Agora funciona. Hasta cuando?
Beijos pra você.
Adelino
PS - Marilia, Valter e eu estamos preocupados porque você disse que estamos na sua listinha negra. Ainda estamos?

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Anonymous Adelino said...

Desculpe-me, Marilia.
Oi também.

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Anonymous Adelino said...

Claro, Cristiane, estarei lá, se Deus quiser.
Beijos

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sandra Cristina, muito obrigado pela sua presença.
A Helô merece todo o nosso carinho.
Pelas manifestações dos demais leitores você já deve ter notado como é querida.
Sandra, aqui às vezes brincamos (zoamos, como diz a hippinha Marilia) uns com os outros, e o tema do post fica em segundo plano. É um espaço muito descontraído.
Vou lá te visitar e linkar o seu blog, ok? Boa quarta-feira para você também.
Adelino

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sandra Cristina, muito obrigado pela sua presença.
A Helô merece todo o nosso carinho.
Pelas manifestações dos demais leitores você já deve ter notado como é querida.
Sandra, aqui às vezes brincamos (zoamos, como diz a hippinha Marilia) uns com os outros, e o tema do post fica em segundo plano. É um espaço muito descontraído.
Vou lá te visitar e linkar o seu blog, ok? Boa quarta-feira para você também.
Adelino

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Anonymous Adelino said...

Um esclarecimento que se faz necessário aos que não a conhecem:

O fato de a nossa jovem amiga Heloisa (Helô) ter uma coleção do Almanaque do Correio da Manhã que vai, isto é, ia de 1941 a 1946, não significa que ela tenha nascido em 1941, 1942, 1943, 1944, 1945 ou 1946 não. Se assim fosse eu não estaria aqui, acho, pois possuo um Almanaque Eu Sei Tudo de 1913...
Ábraço a todos.
Adeino

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Blogger Sonia said...

Obrigada pelo elogio às minhas flores escaneadas. É muito fácil, não tem nenhum mistério! Estou esperando as suas flores qualquer dia aqui! Abraços!

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Blogger marilia said...

Oi adelino...
por favor faça o post do antonioni...or favor...
e eu nunca fui neste sete-a -sete... era o que ? um bar?ra do meu tempo... eu ia lanchar no sacy, e depois a noite, o sucesso mesmo era o maleta...bjão

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, 1943 o ano que nasci.
Você por a caso se lembrou do ÂNGELO BIGGI nesta sua estada em Juiz de Fora?
Por que?
Olhe aqui:

Angelo BIGGI,
Nasceu em Roma, 1887 e faleceu em Juiz de Fora, MG, 1953. Pintor e muralista. Estudou na Real Academia de Belas Artes de Roma. Em 1907, veio para o Brasil, onde freqüentou o Curso Livre de Paisagem, com Batista da Costa, na ENBA, RJ. Participou de salões e realizou exposições notadamente em Minas e no Rio de Janeiro. Em 1922 foi agraciado com a Medalha de Honra do 1º Grau no Salão Nacional de Belas Artes, com a pintura A Hora do Chá, e recebeu a medalha de bronze, em 1924, no mesmo salão. Deixou obras significativas, destacando-se, na cidade de Juiz de Fora, pinturas parietais no Cine Teatro Central, na Associação Comercial, na capela mortuária da família Arcuri e na residência da família Ciamp. Trabalhou em Belo Horizonte no final dos anos 20, deixando pinturas parietais na capela do Palácio Cristo Rei e no Cine Brasil. Estas últimas estão cobertas por densa camada de tinta. Outras cidades de Minas também guardam importantes obras do artista: Barbacena, Manhuaçu, Rio Casca, Lafaiete e Cantagalo. Há obras suas também no Museu Mineiro, BH. Integrou a mostra Emergência do Modernismo em Belo Horizonte, realizada no Museu Mineiro (1996).


Vou fazer uma postagem dele, em sua homenagem!

quarta-feira, agosto 01, 2007  
Anonymous Helô said...

Obrigada a vocês, leitores do blog e amigos do Adelino, pelas palavras carinhosas a mim dirigidas. Em especial, o meu agradecimento aos talentosos e queridos blogueiros Sonia, Valter e Aninha. O Banana&Etc continua em recesso, com apenas uma atualização mensal. São 4 anos de blog e, às vezes, uma pausa é necessária. Grata também a você, Adelino, pela amizade e carinho. Bem, isso aqui já está parecendo entrega do Oscar :))
Beijos a todos.

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, aprendi mais uma coisa boa: escanear flores. O dia em que aprendo algo novo eu o considero um bom dia. Vou tentar, e lhe informarei os resultados. Se pelo chegar pelo menos perto da beleza do seu trabalho, ficarei satisfeito.
Abraços

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, errei tudo. corrija, por favor; o certo é:
(...) Se pelo chegar perto da beleza do seu trabalho, ficarei satisfeito."
Abraços

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Marilia, sobre o Sete-a-Sete depois te explico melhor. Aguarde.

Posts sobre Antonioni e Ingmar estavam prontos, mas o meu PC deu defeito no reverso e fui atropelado por outros blogs mais eficientes e criativos... Perdi a "chança"...
Bjs

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, gostei do seu comentário. Vamos por partes;

1 - Embora às vezes eu não comente, mas fico admirando muito o seu espetacular trabalho como artista plástico. Vejo você muitas vezes falando do Museu de Belas Artes, dos pintores do passado e do presente, por isso o motivo da pergunta. E você fez uma belíssima pequena biografia sobre o Angelo Biggi, muito interessante. Vou imprimi-la. Eu estive em JF naquele tempo, ainda quase criança, e conheci o pintor pessoalmente, pouco antes da morte dele; o post - pode ter certeza - será muito bem recebido, pode crer;

2 - Um esclarecimento: o exemplar do ALMANAQUE DO CORREIO DA MANHÃ, 1943, que a Helô me presenteou teve como portador o meu filho mais novo, que foi à MANCHESTER MINEIRA (ainda é?) a trabalho na semana passada. Eu não tive essa honra de recebê-lo em mãos, mas foi como se tivesse sido assim;

3 - Que coincidência interessante: 1943, ano de seu nascimento. Vida curiosa essa...

Eduardo, muito obrigado.
Grande abraço

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Helô, você sabe melhor do que eu que para encerrar o "movimento" de um post eu teria de entrar com outro, o que ainda não me foi possível. Por isso ficou mesmo agradavelmente parecendo uma festa de entrega de OSCAR. Agradeço ao meu pai, à minha mãe, à minha tia, ao entregador de pizza, ao Síndico, ao quitandeiro, enfim vai por aí, tudo muito informal, alegre, espontâneo, e divertido. Esta "cerimônia" serviu para mostrar o quanto você é querida, o que não era novidade para você e nem para nós.
Aliás, como mandava a boa ética só tornei público o seu ato de me presentear com o Almananque do CM, 1943, com a sua prévia autorização, que aliás me foi concedida "desde que muito caprichado", pediu você, brincando, claro.
E acho que fiz o melhor possível; mais carinho dos leitores, possível, mais difícil. E você o merece.

Meus amigos leitores, obrigado pela presença de vocês. Declaro assim encerrada a "Cerimônia de Premiação (e entregação)"...
Beijos carinhosos para todos, exceto para os do sexo-homem, aos quais vai o meu abraço.
Boa noite, isto é, bom dia...

PS - Mais comentários serão bem recebidos...

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

SONIA, incrível, eu de novo. PC lento é assim:

"Sonia, errei tudo. corrija, por favor; o certo é:

(...) Se PELO MENOS chegar perto da beleza do seu trabalho, ficarei satisfeito."
Abraços

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, rasga o colchão e compra outro PC. Vai deixar grana demais para os filhos e acaba saindo briga.
Faz igual ao Eduardo, compre ,logo um Dell, uma supermáquina, falou?

Abraço do amigo do sexo-homem

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous denise said...

Adelino, relíquia na moldura, o que acha?gostei da foto das mulheres! Isso mesmo,cuidado para não danificar a relíquia, hehe.
abraço, garoto

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Blogger marilia said...

Ola Amigo...
tô com saudades de seus emails...
apareça!

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Blogger marilia said...

Adelino do céus!!!
acabei de ler todos os comentários... e lembrei que tenho de armar uma vendetta pra vc e pro valter...
A yvonne anda esquecida, imagina eu......
me aguardem..sará malígna!

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, se eu rasgar o meu colchão, só sai ar. Eu não diria pena de peru porque não sou um privilegiado que nem o nosso querido Lord Broken Pottery... Você leu aquela história do edredon? Ou foi o colchão? Não sei mais. O PC melhorou bastante, Valter. Meu filho passou o anti-virus e agora vai indo.
E a noite de autógrafos, já decidiu se vai ser em Mongaguá ou Piracicaba ou São Paulo?
Avise com antecedência, porque se fosse no tempo da DUCAL eu já tinha comprado uma roupa nova em 48 suaves prestações. Hoje não dá mais...
Grande abraço

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Marilia, calma, menina, eu vou te contar o que era o Sete-a-Sete (Seve-to-Seven) por e-mail. Nada que ruborizasse a Tradicional Família Mineira.
Beijos

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Marilia, nada de vendetta. Nós não fizemos nada. Não é Valter?
Beijos

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Denise, eu entendi que se referia às fotos das mulheres brasileiras na guerra, não é? Realmente são bonitas essa honraria.
Agora, se quiser ver mulheres em molduras é só visitar o VARAL DE IDÉIAS, do Eduardo. Muito bom gosto.
Beijos, Denise.

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Adelino, será que é o PC que mexeu assim com a sua cabeça?
O edredon do Lord, era de pena de ganso e não de perú, pena de peru é grande demais, não serve para edredon.
Se bem que na minha casa, como era casa simplisinha, usávamos penas de galinha mesmo, tanto para o acolchoado, porque pobre não usava edredon né? como para os travesseiros.
Agora no lançamento do livro, quero te ver em todos eles, em Piracicaba, em S Paulo, no Rio, e em Minas de Marília.
Roupa? pode vir de bermudão mesmo, bem "tiozinho".
Um beijo.

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Anna, a culpa é da Marilia. Ela disse que Valter e eu não perdemos por esperar. Que vem vendetta dela por aí.

Não sei o que aconteceu hoje que estou trocando as bolas, você nem imagina. É verdade que não cheguei a colocar a testa no prato como alguém de Belzonte fez em Nova York, mas tudo bem.

Mil desculpas ao Lord, a quem juro que não ter trocado o ganso pelo peru de propósito. Foi culpa da Marilia mesmo. Por falar nisso, Anna, uma vez, quando criança, dormi na fazenda de um tio onde os colchões era recheados de palha seca. Era só respirar que fazia um barulhão. Uma lástima.
Beijos.

quinta-feira, agosto 02, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Adelino, na minha casa tinha diversos colchões desses.
Acho que eram feitos de propósito, para que quando tivesse visitas, mesmo dormindo, pudesse controlar os atos das mesmas.
Naquele tempo, namorado não dormia na mesma casa da namorada, mas se necessário fosse, você já viu né?
Se ousasse chegar perto da cama da namorada, o sogro já sabia.
O colchão denunciava.
Agora era gostoso quando deitávamos neles, a gente mexia as palhas, ficava aquele colchão enorme, e quando deitávamos ele afundava. Prá criança aquilo era uma delícia.
Um beijo.

sexta-feira, agosto 03, 2007  
Anonymous Adelino said...

É provável mesmo, Anna, que a intenção seja aquela que você citou.
E você, quando começará a escrever o seu livro? Estamos no aguardo.
Beijos.

sexta-feira, agosto 03, 2007  

Postar um comentário

<< Home