23 julho 2008

LEMBRANÇAS DE HOLLYWOOD

--------------------------------------------------------------------------------
Apreciador de cinema, desde criança eu acompanhava com muito interesse as reportagens daquela jovem correspondente que a revista O CRUZEIRO mantinha em Hollywood. Admirava as atrizes tanto quanto a autora das reportagens. E apesar de menino e de passado tanto tempo, guardei para sempre o nome dela, pela sua imensa simpatia: DULCE DAMASCENO DE BRITO. Por coincidência, ganhei ontem de minha irmã mais nova o livro LEMBRANÇAS DE HOLLYWOOD, composto por Alfredo Sternheim, contendo interessantes memórias da querida jornalista. Não sei se posso recomendar, se serei censurado ou não, mas vale a pena. Quem gosta de cinema não deve perder, por isso eis a resenha do bem elaborado LEMBRANÇAS DE HOLLYWOOD logo aí abaixo:

"Se ainda hoje Hollywood exerce um imenso fascínio sobre o ser humano, essa atração era muito maior nas décadas de 1940 e 1950. Ir para aquela região encostada em Los Angeles, Califórnia, era o sonho de muita gente. Mas a lista de brasileiros que o concretizou é pequena. Naquela época sem internet, tornava-se dispendioso para a nossa imprensa manter alguém como correspondente. Porém, Dulce Damasceno de Brito tinha esse sonho e foi atrás, tornou-o possível. Enviada pela revista O Cruzeiro a Hollywood, tornou-se amiga confidente de Carmen Miranda e passou a conhecer intimamente sua personalidade e a de muitas outras estrelas do cinema daquela época, com total circulação dentro dos estúdios e com fácil e próximo acesso às celebridades, algo que hoje se tornou uma missão impossível. A jornalista, que já tinha escrito Hollywood Nua e Crua, agora abandona o tom formal daquela publicação e vai mais fundo nas suas lembranças desse passado esplendido em Lembranças de Hollywood, da Coleção Aplauso. "
--------------------------------------------------------------------------------
Foto escaneada do livro "Lembranças de Hollywood" (Dulce e Debbie Reynolds)
--------------------------------------------------------------------------------

22 Comments:

Blogger Maria Augusta said...

Imagino a vida desta jornalista vivendo no meio daqueles nomes míticos de Hollywood, este livro deve ser muito interessante.
Obrigada pela dica e um grande abraço.

quinta-feira, julho 24, 2008  
Blogger Yvonne said...

Eu amo filmes clássicos antigos e vou comprar o livro. Obrigada pela indicação.
Beijocas

quinta-feira, julho 24, 2008  
Anonymous DO said...

O tempo pode ter passado. Muita coisa mudou mesmo,mas é inegavel que o poder de Hollywood continua enorme nas nossas mentes.
abração!

quinta-feira, julho 24, 2008  
Anonymous Taty said...

Ai, eu amo filmes. E amo livros. Então é claro q está muito mais q recomendado. Vou correndo procurar. Muito obrigada, Adelino!
Um beijo!!

quinta-feira, julho 24, 2008  
Blogger valter ferraz said...

Adelino,
demorou a sair da toca!
Tentei comentar no post sobre o dia da avó, disse qu estava antecipado. Mas deu erro. Fica aqui o comentário, então.
Abraço grande

quinta-feira, julho 24, 2008  
Blogger Aninha Pontes said...

Imagino a importância que deve ter sido para uma jornalista estar nesse meio e realizar um sonho de tantos mortais.
Você sabe das coisas Adelino, se recomendou é porque vale a pena.
Um beijo

quinta-feira, julho 24, 2008  
Blogger Jeanne said...

Deve ser muito interessante este livro, foi uma época de muito glamour aquela.
Sempre bom recordar a nossa querida Carmem Miranda.
Beijos

quinta-feira, julho 24, 2008  
Anonymous peri s.c. said...

Boa dica, Adelino, as pessoas que faziam cinema nessa época são muitíssimo mais interessantes que as atuais.
abraço

quinta-feira, julho 24, 2008  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Deliciosas lembranças, como faz bem recordar.

lindo dia amigo
beijos

quinta-feira, julho 24, 2008  
Blogger sonia a.m. said...

Não li o livro mas sei que ela é (ou foi) uma jornalista bem conceituada e o livro teve boas críticas. E quantos filmes eu já assisti da Debbie Reynolds...
Ótimas memórias cinematográficas, Adelino!
Abraços!

sexta-feira, julho 25, 2008  
Blogger Georgia said...

Adelino, estou de volta e depois vou ler seus posts passados com tempo.
Vim te fazer um convite. Eu faco parte deum blog só de livros com mais 3 amigas. Gostaria muito que vc aceitasse ao convite para responder ao nosso questionário. No caso você seria o nosso homem de setembro. Pois uma vez no mês temos um livro indicado pelos homens. E entao aceita? Aqui segue o link para vc passar por lá e ver que livros já temos na lista.

http://www.elasestaolendo.blogspot.com/

Essa época de Hollywood nao é a minha.

Bom fim de semana

sexta-feira, julho 25, 2008  
Anonymous Adelino said...

Maria Augusta, no meu modo de entender, a Imprensa Oficial - como consta da apresentação do livro - reabilita e resgata de forma brilhante a cultura brasileira ao biografar atores, artistas, diretores e autores de todas as áreas artísticas. Principalmente reabilita, diga-se. E o pricipal: numa linguagem simples, ilustrada, acessível a todos os leitores interessados.
Grande abraço. Ótima semana.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Yvonne, pra quem gosta é ótimo. Um passeio por Hollywood em sua Era de Ouro. Ver os nossos "heróis" do passado como simples seres humanos, mortais como nós, em sets de filmagem, caracterizados tais quais os vimos nos filmes, e ainda por cima com textos baseados no que a Dulce relatou diretamente dos bastidores, é uma boa leitura, sem dúvida "gratificante" (não encontrei outra palavra, sinto muito).
Beijos, ótima semana.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Do, até que mais modernamente nem tanto. Mas houve tempo em que Hollywood era uma Terra Encantada, intingível (ou quase). Veja quantos escândalos só vieram à tona depois de tantos anos. Não neste livro, porque a Damasceno tinha uma categoria rara de noticiar.
Grande abraço, obrigado. Ótima semana.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Taty, às vezes fico com receio de decepcionar quando "recomendo" (e quem sou eu para recomendar livros?) alguma coisa. Mas já vi que vai gostar sim. É uma leitura boa, muitas imagens inéditas, os astros tratados como seres humanos como nós. É o tipo de livro que deve ficar exposto, à mão.
E se gosta de cinema, já viu.
Um beijo também. Ótima semana.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Valter, foi um grande prazer falar contigo e Aninha. E aprendi com você. Quando editando um post, eu pensava que o mesmo, até por ser rascunho, não aparecia no blog que estava no "ar" até que a versão definitiva estivesse pronta.
Sei que o livro não faz o seu gênero, mas só a sua presença, me honra.
Grande abraço, gostei muito de falar com vocês "ao vivo".
Em tempo: como disse, eu não estava na toca, pelo contrário... Só não estava presente...

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

É mesmo, Ana, para a Dulce deve ter sido um sonho. E como todos os sonhos são realizados sem que o saibamos, ela deve ter percebido isso ao se ver ao lado de seus astros e atrizes preferidos, caminhando pelas alamedas de Hollywood.
Como disse ao Valter, gostei muito de falar com vocês na "Conexão Rio-Mongaguá".Uma honra.
Beijo. Ótima semana.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Jeanne, sem dúvida. Pelo que li, a Carmem Miranda parece ter ajudado um pouco a Dulce a entrar no mundo mágico de Hollywood. Mas se ela, a jornalista, não tivesse talento e vontade essa ajuda de nada adiantaria. Ótimo livro pra quem gosta do gênero.
Beijos. Ótima semana para você.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Sem dúvida, Peri, e não há nenhum saudosimo ou nostalgia em aceitar que as coisas eram assim mesmo. As pessoas, embora astros, pareciam mais reais, mais gente, mais acessíveis, palpáveis, humanos, o que em nada desmerece a indústria atual de cinema.
Grande abraço, Peri, e ótima semana.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Márcia, para quem como eu, que admirava tanto a autora do livro quanto astros e atrizes por ela relembrados, o Lembranças de Hollywood foi um "presentão" de minha irmã...
Beijos, ótima semana para vocês.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Você sabe do que fala, Sonia, grande jornalista que é. De repente deparei-me com aquele livrão bem elaborado, leitura amena, clara, informativa.
A Debbie Reynolds também era uma de minhas favoritas, por isso escolhi aquela foto para ilustrar o post.
Abraços, Sonia, obrigado. Ótima semana.

sábado, julho 26, 2008  
Anonymous Adelino said...

Georgia, convite aceito com muita honra. Só não entendi muito bem as "regras do jogo". Se puder me explicar melhor, meu e-mail é:

adelino.ps@gmail.com

Estive no blog de vocês: formidável.
Beijos

sábado, julho 26, 2008  

Postar um comentário

<< Home