18 abril 2008

ANALFABETISMO? NÃO.

----------------------------------------------------------------------------------
Tive a honra de ser convidado pela Geórgia e a Meire a participar da blogagem coletiva sobre a alfabetização. Lembrei-me então de um fato ocorrido há muitos anos, quando ainda criança. É meio comprido, mas se tiver tempo e paciência, leia. É pertinente.

Ao lado da nossa casa, numa oficina mecânica, trabalhava um senhor humilde, muito querido de toda a vizinhança pela educação, respeito e carinho que dispensava a todos nós, crianças, adolescentes e adultos. Sua aparência meio rude, quase sempre trajando um macacão sujo de óleo e graxa afastava dele quem o visse pela primeira vez. Até seu nome era estranho: Borval... Às vezes o víamos observando discretamente, com ar tristonho, pensativo, meu irmão e eu fazendo nossos deveres escolares em meio a livros, cadernos e lápis. Um dia, perguntamos ao nosso amigo se ele sabia ler.
- Não. E nem escrever. – respondeu prontamente.
- E o senhor gostaria de aprender a ler, escrever, fazer contas?
- Gostaria. Mas nunca fui à escola.
- A partir de hoje você tem dois professores. – disse-lhe meu irmão mais velho.

- Será se eu consigo? - perguntou entre alegre e temeroso.
- Claro que consegue. Começamos quando quiser. - dissemos.

E assim foi. Aulas diárias de meia hora, quarenta e cinco minutos, rigorosamente. Crianças que éramos, no começo ríamos dele discretamente e de nós mesmos. Embora pacientes, achávamos ser impossível extrair dali qualquer resultado positivo por menor que fosse. Os dias foram passando. A boa vontade e esforço do Borval eram comoventes.

Finalmente, dentro de três meses ele já escrevia razoavelmente, lia até manchetes de jornal e fazia com relativa desenvoltura as contas de “mais e de menos”. Sua gratidão para conosco foi emocionante. Até sua irmã, humilde como ele, uma senhora casada e com filhos, morando num bairro distante, quando soube do nosso "milagre" foi nos agradecer pessoalmente pelo “bem que fizéramos ao seu irmão”. Ficamos surpresos, mal tínhamos conta da importância do nosso feito.


O tempo passou. Mais tarde, já adolescentes, ficamos sabendo pela sua irmã que o “nosso bom aluno” Borval tomara gosto pelos estudos, conseguira emprego no escritório de uma empresa numa cidade vizinha, e até ganhava mais, bem mais. Não que a profissão de ajudante de mecânico que exercia não fosse digna como outra qualquer, mas agora ele trabalhava naquilo que segundo ela era seu sonho, e consequentemente produzia muito mais.

E nós costumávamos dizer com muito orgulho: “Pelo menos um adulto alfabetizamos”. E não é tão difícil como pode parecer à primeira vista. É só perguntar, abrir o jogo francamente, porque muitas pessoas adultas têm vergonha de dizer que são analfabetas. Conheço casos assim. Descubra-os e ensine. Sempre que posso faço isso. Embora muitos não queiram mesmo aprender.
----------------------------------------------------------------------------------
Imagem: Blog da Geórgia
----------------------------------------------------------------------------------

56 Comments:

Anonymous Magui said...

Parabéns.Muitos não aprendem porque o método é estrangeiro e não se adaptam ao português.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Magui, sou suspeito para falar, já que sou do tempo do BEABÁ, do "VOVÔ VIU A UVA", de "cantar" a tabuada de somar e multiplicar, do caderno de caligrafia, do Livro Nosso Brasil, da "Selecta" Portuguesa... . E tudo ia muitíssimo bem. Não se mexe em sistemas que estão funcionando, a não ser para melhorará-los. Mas não é o que vemos. Sempre tem algum gênio para "mudernizar" o ensino, os métodos de aferição de aproveitamente etc. etc etc...
Abraços

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Meire said...

Bela iniciativa esta sua e do seu irmao.
Um dia, qdo voltar ao Brasil, quero entrar em alguma comunidade de dar meu contributo ajudando alfabetizar adultos.
Imagino que isso deve nos fazer muito bem.
Obrigada pela participaçao.
Um beijo
Meire

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Maria Augusta said...

Adelino, no meu post para a coletiva falo exatamente sobre isto, que devemos alfabetizar quem esta próximo de nós e que não teve acesso à educação.
Parabéns pelo valioso testemunho!
Um abraço.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Luma said...

Quando eu era criança, todas as outras brincavam de escolinha. Tínhamos quadro negro e tudo que fosse necessário a juntar uma boa turma. Nessa ajudávamos amigos em dificuldades na escola e os menores, curiosos por ainda não frequentarem a escola, sempre aprendiam algo. Eu não vejo as crianças brincarem de escolinha mais. Parece que a figura do educador está um tanto quanto gasta! Beijus

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Fábio Mayer said...

As pessoas não alfabetizadas, que tem sonhos, acabam aprendendo, basta que lhes estendam uma mão amiga.

História comovente.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Sonia A. Mascaro said...

Ótima a sua participação nesta Campanha e importante a sua iniciativa e a de seu irmão, tão jovens e já interessados pelo bem do próximo!

Eu também estou nessa, Adelino! E ao ler o seu depoimento, vejo que tivemos uma experiência parecida. Como coloquei no blog da Maria Augusta, eu alfabetizei duas moças que trabalharam aqui em casa. Uma delas, eu só descobri que não sabia nem ler nem escrever depois de um ano, pois ela era muito inteligente e escondia o fato por vergonha! A segunda, me comoveu quando me disse que uma de suas maiores alegrias era ter votado sem precisar sujar o dedo de tinta.

Abraços e beijos para a Claudia!

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Eduardo P.L. said...

Ótimo Adelino. Parabéns a você e se irmão. É um prazer que não tem preço poder contar , como vocês, "fizemos nossa parte!"

Forte abraço

sexta-feira, abril 18, 2008  
OpenID universodesconexo said...

Que historia linda Adelino. Quase me levou as lagrimas. Uma atitude tao generosa de duas criancas.Uma aula de cidadania para adulto nenhum botar defeito.

Acho essas atitudes individuais lindas, apesar de nao serem assim efetivas quando pensamos nos 16 milhoes de analfabetos.

Belissima participacao !

bjs
Lys

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Cybele Meyer said...

Parabéns Adelino, que grande exemplo. São pessoas como você e seu irmão que fazem a diferença.
Também acredito que devemos ajudar, pelo menos, aqueles que estão mais próximos de nós.
Falei sobre isso no meu blog Educar Já!
Sucesso sempre
abs

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Bete said...

Ola Adelino
Essa é uma luta constante, infelizmente o número de analfabetos continua assustador e a falta de políticas públicas não é uma novidade nesse imenso País.
Obrigada pela visita e pelo carinho
bjs
xau

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Celia Rodrigues said...

Quando criança, eu disse várias vezes que seria professora, talvez pela admiração que sentia pelas minhas educadoras. Cresci e percebi que não tenho a menor vocação para o ensino.
Parabéns por ter conseguido melhorar a vida de alguém! Aposto como você se sente tão beneficiado como ele. Ótimo fim de semana!

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Aninha Pontes said...

Adelino meu querido amigo, uma linda história, e que, claro, não poderia ter sido diferente, visto que o Sr Borval teve o privilégio de estar naquele momento perto de vocês.
Foi uma atitude, que tem sim, de provocar-lhes muito orgulho.
Tive também oportunidade no decorrer de minha vida, de ensinar. Não apenas ler e escrever, mas de ensinar muitas outras coisas. Ensinei pessoas a fazer o meu tricô que tanto gosto, e com isso dei uma profissão à algumas pessoas.
Isso me deixa feliz, me sinto útil, e acho que meu aprendizado tem que ser dividido com pessoas que dele precisem.
Cada um de nós fazendo um pouquinho, os benefícios serão enormes.
Parabéns pelo post.
Um beijo

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Meire, o fato demonstra que tem de haver tmbém por parte do "interessado" boa vontade em aprender o que nos dispomos a lhe ensinar, o que foi o caso do nosso amigo Sr. Borval. Era claro o receio ou vergonha que ele tinha de nos pedir ajuda.
Meire, fico feliz e orgulhoso em você achar que foi boa a minha participação na Coletiva. Visitei até agora, comentando, cerca de 30 blogs participantes, e pretendo fazer mais. Muito obrigado. O Coletiva foi um grande sucesso, pode acreditar.
Um beijo. Bom final de semana.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Maria Augusta, eu disse isso da coincidência de pensamentos num comentário que deixei em seu belíssimo post de hoje.
A Coletiva está sendo um sucesso provocando opiniões interessantes.
Engana-se quem pensa que isto é apenas um movimento de blogueiros. Outro dia ouvi uma entrevista na CBN em que o entrevistado falava da força dos blogs, e que foram o maior e mais importante acontecimento da década passada.
Obrigado.
Beijo, e bom fim de semana.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Luma, é verdade, hoje não se brinca mais de escolinha.
Eu não conheço as estatísticas do IBGE, principalmente do PNAD, mas creio que o índice de analfabetismo entre os adultos e idosos deve ser maior do que entre crianças, justamente pelo receio e vergonha de se dizerem analfabetos.
E não temos dúvida de que a figura do educador, mais propriamente a do professor está desprestigiada, em parte pela nova ordem moral imposta à sociedade nos tempos mais modernos.
Beijos, e ótimo final de semana, Luma.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Fábio Mayer, eu acho que não se deve ter a preocupação de alfabetizar já impondo ao aluno, seja de que idade for, a leitura de livros de escritores clássicos, que muitas vezes entendiam até a nós, um pouco mais acostumados a uma leitura mais difícil, e nem livros com histórias sem pé e sem cabeça, ilógicas, enfim, não são fábulas que divertem e educam ao mesmo tempo.
Honrado com a sua visita, um grande abraço.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Sonia, muito obrigado. Aliás, o seu blog está arrasando... Aquela imagem ficou maravilhosa, além das fotos sempre encantadoras.
Este mesmo irmão de que falei, Sonia, muito inteligente, foi, ainda adolescente, convidado pelo Prefeito da cidade a dar aulas noturnas num Grupo Escolar, num programa de alfabetização de adultos patrocinado pela prefeitura local, tudo gratuitamente. Ele desistiu depois de algumas semanas, sabe por quê? Alunos desinteressados tinham a ousadia de sair escondido da sala e desligar a luz do prédio, com o único propósito de bagunçar mesmo. E olha que isso acontecia em 1950 numa cidade do interior. Como se vê, além de alfabetizar tinha também de catequizar...
Bonita a sua história sobre as duas meninas que educou.
Abraços, Sonia e ótimo final de semana.

PS - A Claudia retribui o seu abraço. Passo a ela sempre os seus posts. Quando esqueço ela reclama...

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, pode contar com o nosso espacinho sempre. É só chamar.
Visitei cerca de 30 blogs e pretendo ir além. A Coletiva foi ótima, muito sucesso. Mexeu no fundo do poço. É pouco, mas é alguma coisa. Meus parabéns.
Grande abraço, Eduardo, e ótimo final de semana.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Lys, eu fico impressionado com a sua capacidade de motivar qualquer assunto, principalmente as boas causas. Sou seu fan, mas dei umas "contrariadas", eu diria até provocações, nas suas idéias expostas no seu excelente "universodesconexo". Faz parte, não é?
A nossa história é absolutamente real, incluindo o nome do "aluno" Borval. Realmente é pouco, Lys, mas é uma sementinha que plantamos numa alma cheia de vontade de aprender, e que provavelmente deve ter produzido frutos e outras sementes pela vida toda.
Você dizer que a minha participação foi boa é um alento, um incentivo.
Beijos, e ótimo final de semana para você e familiares.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Cybele, começar pelo que está ao nosso alcance deve ser o lema. De que adianta sonhar muito e não realizar? Não acha? Quem sabe o nosso "aluno" Sr. Borval não fez a outros o mesmo bem que a ele fizemos desinteressadamente.
Obrigado, Cybele, já estou indo no seu blog ler o seu post.
Um abraço, e ótimo fim de semana.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Nada a agradecer, Bete. Confesso-me feliz por ter participado juntamente com vocês todos desta Coletiva tão bem conduzida pela Geórgia e Meire. Os blogs têm força sim, estão equivocados os que acham o contrário. Tem hora de humor e de seriedade.

Bete, pouca gente fala, por desconhecimento ou por preconceito, de uma iniciativa muito boa no tempo do governo militar: o MOBRAL (Movimento Brasileiro de Alfabetização). Infelizmente, por divergências ideológicas, o programa foi, à epoca, ridicularizado e até boicotado por alguns meios de comunicação, chargistas, cartunistas de pasquins etc., que viam naquilo uma forma de propaganda do governo. Não era perfeito, claro, tinha os seus defeitos, mas funcionava. A mobilização era grande. Hoje temos alguma coisa parecida, mas com outras denominações.
Beijos, e um bom final de semana.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Célia, eu tenho um profundo respeito pelos professores. Sei até o hoje o nome de 95% deles, desde o Curso Primário, no Grupo Escolar, até os de faculdade. Os tempos mudaram demais. As professoras na maioria dos casos deixavam de constituir família, porque via nos seus alunos os seus próprios filhos, sua grande família. Realizavam-se vendo o sucesso deles quando crescidos. Acredito que a profissão de professor exige mais vocação do que a do exercício do sacerdócio.
Ótimo final de semana para você também, Bete.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Anonymous Adelino said...

Ana, li os seus comentários em diversos blogs, e como digo sempre, temos uma grande identidade de pensamento.
Talvez não soubéssemos quando crianças alfabetizando um adulto da importância do que fazíamos. Era um desafio a que tínhamos nos proposto enfrentar. Somente quando soubemos do resultado de nossa iniciativa, aí sim. E nos orgulhamos disso. Fazer pelos que estão próximos seria pouco? Não acho. O pouco que se faz neste sentido é muito.
Um beijo para você Ana, e um abração para o Valter.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Luci Lacey said...

Adelino

Que lindo seu post.

Parabens.

Ando numa correria tao grande, e nao to conseguindo visitar os amigos como gostaria.

Beijinhos e bom final de semana.

sexta-feira, abril 18, 2008  
Blogger Allan Robert P. J. said...

Bela experiência. Daquelas que marcam para sempre. E nem foi preciso pertencer a uma ONG ou a qualquer associação. Parabéns!

sábado, abril 19, 2008  
Blogger Betinha said...

Adelino, o que posso dizer? Parabéns, parabéns, parabéns.
Bjs.

sábado, abril 19, 2008  
Anonymous Clítia said...

O quanto se pode fazer e o quanto é descartado por displicência.
Bela blogagem

sábado, abril 19, 2008  
OpenID universodesconexo said...

Ah Adelino... mas assim eh que eh bom ne ? Adoro te cutucar tambem entao estamos empatados :) Nao sei se isso alivia minha barra mas saibas que so cutuco quem eu gosto e quem eu acho que vale a pena.

Tive um professor na faculdade que me disse no final do curso que eu tinha sido a unica estudante dele que o havia questionado de fato e de forma profunda sobre varias coisas e o tinha feito pensar por outros angulos. Fiquei feliz em saber disso pois no final percebi que essa brincadeira vale de fato a pena e que eh boa para os dois lados. Hoje em dia somos grandes amigos e colegas :)

Ah e para voce que gosta de astronomia, to preparando um post resposta a uma pergunta que me fizeram que vai ficar supimpa. Sobre universos paralelos. Diversao garantida ;)

Muitos beijos e a resposta a seu comentario (com mais cutucada com todo respeito eh claro) ja esta la no meu blog.

E tem uma outra pessoa que respondeu a voce tambem. A discussao ta boa por la.

Lys

sábado, abril 19, 2008  
Blogger Ronald said...

E custou muito à vocês, não Adelinoi....


São atitudes assim que movem nosso Brasil

Parábens

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous delino said...

Luci, além do prazer de participar, pelo menos para mim essas Coletivas revelam blogs interessantíssimos que eu não conhecia. Pena que não sobre tempo para comentar em todos eles.
Beijos e excelentes domingo e próxima semana.

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous Adelino said...

É verdade, Allan. O povo precisa de iniciativas que o levem a cooperar. Precisa de líderes, mas de líderes que não almejem cargos públicos, ou representativos. E quase regra geral: quando você vê alguém organizando mutirões para, por exemplo, limpar as ruas, auxiliar no combate à proliferação de mosquitos etc, em 95% dos casos, existe por trás disso o interesse em ganhar popularidade para que nas próximas eleições se lance candidato a um cargo eletivo. Como disse, há exceções.
Um abraço, obrigado. Bom domingo.

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous Adelino said...

Elizabeth, e eu, dizer o quê? Que é muita generosidade sua, e agradecer: obrigado.
Beijos. Feliz domingo e ótimos feriados.

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous Adelino said...

Clitia, antes de tudo, foi visitar o seu blog. Foi aquilo que eu disse à Luci: essas coletivas nos permitem, além de colaborar, conhecer blogs maravilhosos. Meus parabéns. Vai para os meus favoritos.
Um abraço, e ótimo resto de domingo.

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous Adelino said...

Eu vi, Lys.
Eu não devia entrar num debate contigo, porque uma geração inteira separa nossos pensamentos e idéias, mas os ideais não, que são os mesmos. Não obstante isso, menina, você não perde por esperar. Tem troco... rs
Beijos. Ótimo domingo para vocês.
PS - Aguardamos "universos paralelos".
Bjs

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous Adelino said...

Muito obrigado, Ronald.
Eu pretendia participar da Coletiva com outro post, mas a movimentação foi tão grande que nem deu mais tempo. Mas tudo bem, porque visitamos e conhecemos diversos blogs bastante interessantes e inteligentes.
Muito obrigado, um abraço e ótimo domingo.

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous denise said...

Adelino,tentei fazer o mesmo com uma senhora, mas não tive três meses necessários. Foram uns dias de férias. Mas o interessse dela me comoveu. Hoje as crianças são estimuladas a nada fazer porque tudo já vem pronto. Esta incrível aprovação automática nas escolas públicas, não consigo engolir. Trabalho no ensino privado também e vejo que os resultados não são iguais. Antiquada, eu? Talvez, mas , sem disciplina não ha resultado que preste. parabéns pelo post!
abraço, garoto

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous Adelino said...

Denise, eu acho que já falei sobre isso, mas vale a pena voltar ao assunto: no meu tempo os alunos recebiam nota de 0 a 10 em seus trabalhos escolares, e mesmo em argüições orais feitas de surpresa durante as aulas. E ainda existiam as sabatinas com datas marcadas ou não. As notas eram computadas "na mão", e no início de cada mês o Diretor visitava cada sala trazendo os boletins individuais com as médias obtidas, anunciando em voz alta a classificação em ordem decrescente, desde o último ao primeiro colocado. Este sistema estimulava os alunos a estudarem, até mesmo pela sadia rivalidade que criava entre eles. No final do ano letivo, o primeiro classificado do ano era homenageado com medalhas etc.
Mais modernamente extinguiram tudo isso. Motivo: os alunos ruins de estudo poderiam se sentir traumatizados, menosprezados, segregados. Passaram a emitir conceitos, e como você disse, ninguém mais pode ser reprovado, já que não pode ser submetido a essa "grande humilhação". Ser bom aluno hoje é motivo de chacota, é ser puxa-saco, "mauricinho", "patricinha" e outros apelidos impublicáveis.
Nivelaram por baixo.
O paradoxo é que se não fosse a emulação não teríamos provas esportivas onde recordes são batidos, os atletas, se esforçam para vencer, melhorar. É a mesma coisa. Bom, este assunto é meio complicado, é coisa para as psicólogas, pedagogas. Mas é o que penso. Mudaram muita coisa para pior. Consertar isso vai levar uns quarenta anos, caso comecem hoje.
Um bom feriado, Denise.
Abraços

domingo, abril 20, 2008  
Anonymous Mário said...

Uma boa sugestão, Adelino. Um belo exemplo. Boa semana.

terça-feira, abril 22, 2008  
Blogger Cristiane said...

Adelino meu amigo,
Tudo bem?
Desejo que sim, com todos vocês!
Infelizmente não deu para participar da blogagem coletiva, não tive tempo de preparar nada...


Vim, em especial para convidar você para comemorar conosco o aniversário de 01 ano do Fragmentos de Mim, conto com você lá tá?
Daqui a pouco vou publicar um lindo presente que ganhei, rs...
Bjinho, Cris

quarta-feira, abril 23, 2008  
Anonymous Adelino said...

Mário, gostei do seu post de 22/04 sobre o Descobrimento do Brasil. Não comentei porque havia uma mensagem de "comentários não ativados". Penso e espero, assim como você, Mário, que muita coisa seja descoberta neste país tão abeçoado pela Natureza, mas tão maltratado pelos seus homens públicos. Muito de bom ainda vai ser descoberto, mas que vai levar tempo, vai.
Grande abraço, e obrigado pela sua presença. É uma honra.

quinta-feira, abril 24, 2008  
Anonymous Adelino said...

Cristiane, já estive lá meio corrido, mas valeu. Um grande abraço para você pelo primeiro ano do excelente Fragmentos de Mim. Só lamentamos a sua ausência que ultimamente tem sido muito presente. Mas compreendemos. O motivo é justíssimo.
Beijos e muitos balões, bolos, apitos, música!!!

quinta-feira, abril 24, 2008  
Blogger Luci Lacey said...

Oi Adelino

Vim espiar e desejar um bom final de semana.

Beijinhos

sexta-feira, abril 25, 2008  
Anonymous Adelino said...

Luci, um bom final de semana para vocês também. Ando meio ocupado nestes dias. Como de hábito, nós, brasileiros, deixamos quase tudo para cima da hora.
Beijos

sexta-feira, abril 25, 2008  
Blogger Aninha Pontes said...

Tudo bem meu amigo?
Um beijo

sexta-feira, abril 25, 2008  
Anonymous Adelino said...

Ana, tudo bem. Como disse, tem coisas que a gente sempre deixa para a última hora e já viu. Sabe do que estou falando... Espero postar alguma coisa hoje ou amanhã antes que o Sr. Valter me cobre "produção"... Afinal, não é Ana, isto é um blog ou que que é?!

Um beijo e um abraço para vocês todos. Ótimo final de semana com sol e sem "acomodações de camadas tetônicas" dando susto na gente...

sábado, abril 26, 2008  
Blogger Yvonne said...

Adelino,

Estou tomando a liberdade de enviar um comentário padrão para todos os blogs que eu amo de paixão. O motivo é que resolvi encerrar o meu blog por motivos pessoais. Não tenho mais condições de participar da blogosfera do jeito que eu gosto, mas não vou ficar para todo sempre distante. Por favor, leia o meu último post que explica a minha razão.

Beijocas

Yvonne

domingo, abril 27, 2008  
Blogger Jeanne said...

Olá, além do Espiritizar que continua ativo, estou iniciando hoje um novo blog com o nome de Consciência e Vida (http://conscienciaevida.blogspot.com/) para assim poder organizar o novo somente para as mensagens espíritas, e o Espiritizar ficará voltado para estudos espíritas.
Te aguardo na casa nova, beijos.

domingo, abril 27, 2008  
Anonymous Adelino said...

Yvonne, todos vamos sentir a sua falta, como aliás já vínhamos sentindo. Não gosto de despedida, de adeus, de dar tempo e nem de até breve, o que não é novidade, porque acho que ninguém gosta. Elogiar o seu blog, o seu modo elegante de expor seus pontos de vista, a sua inteligência, o seu fairplay aceitando "provocações", tudo isso sabemos. Então não vou falar, mas repetir apenas que vamos sentir muita falta. É só.
Como diz a nossa querida amiga Sonia, "Até mais".
Beijo

domingo, abril 27, 2008  
Anonymous Adelino said...

Jeanne, você já sabe o que penso dos seus blogs. Estaremos na outra casa também com assiduidade. Nem sempre comentando, mas aprendendo.
Obrigado
Beijos

domingo, abril 27, 2008  
Blogger Eduardo P.L. said...

Que IR complicado...............................................................................!!!!!!!!!!!


~C;-º

terça-feira, abril 29, 2008  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, que perspicácia a sua...
Vou sugerir a RF que consigam fazer feriados os quatro últimos dias úteis que antecedem o dia 30 de abril... rs
Grande abraço.

terça-feira, abril 29, 2008  
Blogger vivendo said...

OI, Adelino!!
Gostei demais do seu post contra o analfabetismo,que fala da alfabetização de Borval, feita por vc e seu irmão.
Quanto ao post sobre agricultura orgânica, tá autorizadíssimo!Quando li o seu comentário, fiquei na dúvida se era mesmo comigo...Vc me chamou de Vivien...eu sou Viviane...Tudo Vivi...mas aí vc falou em agricultura orgânica e aí eu pensei,acho que é comigo!!
Um beijo grande para vc, muito obrigada pela lembrança, acerolas pra gente, Vivi
P.S. Enquanto escrevo aqui, vejo uma cena pitoresca. Bem-te-vi fazendo um ninho no meu quintal.No bico, vários gravetinhos, e ele grita o tempo todo, acho que se sente o dono do pedaço, todo exibido!!Bem-te-vi!!!!!!Bem-te-vi!!Saiu de casa e foi dar uma volta, mas retornará daqui a pouco, tem sido assim há vinte dias, mais ou menos...

quarta-feira, abril 30, 2008  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino,

AGORA não tem + desculpas de IR....


~C;-))

quinta-feira, maio 01, 2008  
Anonymous Adelino said...

É contigo mesmo, Viviane. Eu me me enrolei. Desculpe-me.
Acho muito bonito o modo como vê maravilhas em coisas tão simples que estão ao alcance de nossas mãos e de nossos olhos, desde que queiramos. Por isso o singelo post que lhe dedico. E que o seu sonho se realize, não é?
Beijos

quinta-feira, maio 01, 2008  
Anonymous Adelino said...

É verdade, Eudardo, tanto que tem post novo. E logo mais vou dar aquela passada nas redações...

Noutros tempos, quando eu dava um espaço maior, o Valter me "cobrava serviço, produção", o que era um incentivo. Felizmente conto contigo. Valeu.
Grande abraço e bom feriado cheio de trabalhos...

quinta-feira, maio 01, 2008  

Postar um comentário

<< Home