06 janeiro 2008

Almanaque da RÁDIO NACIONAL

----------------------------------------------------------------------------------
Sinceramente, eu queria fazer um post que não repetisse o tema do anterior (indicação de livros), mas não resisti. Vejamos o porquê: recebi de presente, ontem, o livro "Almanaque da Rádio Nacional". Pra quem gosta, uma jóia. Vale a pena ler, consultar, catalogar, guardar e... ouvir, pois é acompanhado de um CD bem trabalhado, som límpido e de conteúdo valiosíssimo. Não vou falar mais porque vai ficar parecendo propaganda, e o meu blog pode até sair do ar, o que não acredito, se considerarmos que divulgar coisas boas não é nenhum delito grave. Para os pesquisadores e os "mais ou menos nostálgicos", é uma leitura hiper-agradável, saborosa... Maiores detalhes: http://www.casadapalavra.com.br/index.php
----------------------------------------------------------------------------------
Capa escaneada por Aps
----------------------------------------------------------------------------------

14 Comments:

Blogger Sonia said...

Hi Adelino, your English is great!
Love this "Almanaque"! Sounds amazing!

PS: Estou sem muito assunto para blogar e com muitos afazeres em casa. Sabe essas coisas que a gente deixa pra fazer "no ano que vem?" Arrumação, manutenção da casa, etc? Mas vou ver se coloco uma foto hoje....

Abraços e bom domingo!

domingo, janeiro 06, 2008  
Blogger Aninha Pontes said...

Parabéns pelo presente Adelino. Aliás um presente escolhido a dedo prá você, visto que é uma pessoa tão culta e de uma memória invejável.
Um beijo e uma boa semana.

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Blogger Fernando said...

oI, Adelino,
começo bem minha semana, visitando o Mais ou Menos, muito Mais do que menos, vá lá!
Essas recordações dos nossos tempos, sem esquecer de dizer que os de hoje também o são, são extremamente valiosas.
Numa época em que passa a ser quase dever, esquecer o que passou, como inútil, manter a memória é inestimável.
Felizmente existem pessoas como você, o Joaquim Ferreira dos Santos e outros resistentes, que insistem nessa prática.
Parabéns e tenha uma semana das melhores.
forte abraço
fernando cals

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Anonymous denise said...

Adelino, bom dia!
Que presente mais apropriado, hein!
Como me incluo nos "mais ou menos nostálgicos, he he, fiquei curiosa para ver o livro. Obrigada pela dica. Lembro-me de que, quando criança, antes de termos televisão, ficávamos, eu e meus irmãos, à volta do rádio ouvindo histórias, noticiários, músicas, etc e tal...
Muito bom relembrar.
Uma ótima semana para você!
abraço, garoto

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Blogger Márcia(clarinha) said...

Isso sim é um presentaço, gostei de saber, vou correndo comprar pro meu marido, um apreciador dos bons tempos como você.
lindos dias amigo
beijos

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, quem te presenteou sabe das coisas e te conhece muito bem.
Boa semana,
Forte abraço

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Anonymous Adelino said...

Sonia, foi apenas uma brincadeira...
Acontece, Sonia, de às vezes faltar inspiração, principalmente para quem gosta de colocar imagens em seus posts. É normal deixar-se tudo para o "ano que vem".
Uma vez perguntaram a um escritor inglês já beirando os 100 anos qual tinha sido o seu segredo para manter-se tão jovial e saudável naquela idade. E ele respondeu:
- "Simples. Nunca ficava em pé quando podia ficar sentado. E nunca ficava sentado quando podia ficar deitado..."
E acrescentou, finalizando:
- "E tem mais: se me dava vontade de trabalhar, deitava-me até passar a vontade...".
Não é o caso, Sonia, só quis aproveitar a oportunidade de contar esssa suposta piadinha...
Um abraço e bom início de semana.

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Anonymous Adelino said...

Aninha, agradeço a generosidade dos seus elogios. Minha cultura é média, e quanto à memória, o que acho muito agradável é ler detalhes de coisas que vivenciamos no passado ou ver confirmados minúcias de fatos dos quais fomos contemporâneos.
Beijo também, e boa semana para vocês.

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Anonymous Adelino said...

Fernando, é sempre bom vê-lo por estas paragens...
É verdade que muitas coisas aparentemente simples do passado foram importantes e merecem ser registradas, bem como as de hoje, claro. A diferença que eu vejo, Fernando, é que atualmente é muito curto o espaço de tempo entre o que é atual e o que já é obsoleto, principalmente quando se trata da tecnologia. Entre as válvulas e os transistores passaram-se quase duas décadas. E assim vai.
Gostei de ser comparado ao Joaquim Ferreira dos Santos. É um saudosismo sadio, não radical, que, inclusive, se utiliza dos meios modernos de registro tal como fazemos agora com o computador.
Excelente semana para você, Fernando, e muito obrigado pela presença.

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Anonymous Adelino said...

Denise, o gostoso é a gente ler o livro e ir se lembrando de detalhes curiosos de programas que assistíamos, dos noticiários, dos cantores etc. Eu já fiz um post aqui mesmo há uns meses chamado Nas Ondas do Rádio, creio, em que relato um caso pessoal curioso e divertido quando tive uma quadrinha para jingle premiada pela Rádio Nacional, em segundo lugar, o que me ensejou a compra de um "belo" terno cor de "café com leite" e ainda sobrou "grana" para ir ao cinema "bem acompanhado"...
Um abraço, garota.

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Anonymous Adelino said...

Márcia, pode estar certa de que ele vai gostar e muito. O CD então faz a gente viajar no tempo.
Beijos

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Anonymous Adelino said...

Valter, a pessoa que me presenteou realmente me conhece, pelo menos meu gosto. É paulista, por sinal, e namorada de meu filho.
Eu não sei se existem livros publicados, mas as Rádio Tupi tanto do Rio quanto a de São Paulo, bem como outras emissoras espalhadas pelo Brasil também têm histórias bonitas. A Mayrink Veiga, a Jornal do Brasil, a Record, a Rádio São Paulo, a Tamoyo, do Rio. A Inconfidência, a Guarany (ambas de BH).
Grande abraço, Valter.

segunda-feira, janeiro 07, 2008  
Blogger Maria Augusta said...

Adelino, deve ser um livro delicioso. Fico contente em ver que aí no Brasil se está começando a valorizar o nosso patrimônio, mesmo recente, pois o rádio foi e é um veículo importante da cultura nacional. Uma ótima dica!
Grande abraço.

terça-feira, janeiro 08, 2008  
Anonymous Adelino said...

Maria Augusta, é verdade que o rádio evoluiu muito tecnicamente falando, mas em matéria de programação, caiu também. Quanto maior o número de emissoras, menor a qualidade em conteúdo. Isto na minha opinião, frize-se. Atualmente eu ouço rádio apenas para notícias. Tem até uma emissora muito conhecida, ótima, cujo slogan é: "a rádio que toca notícias".
Quanto ao livro, ele é realmente delicioso. Cada página é uma lembrança que mexe com a gente.
Abraços pra você.
Adelino

PS - Maria Augusta, foi interessante quando li a parte que fala da cobertura feita por Heron Domingues da morte de Vargas, em 1954. Fiquei sabendo que um de seus assessores diretos foi o meu professor de basquetebol no tempo do Curso Primário: Leony Mesquita. Já naquela época ele sonhava em ser locutor de rádio, chegou a trabalhar em serviço de alto-falantes... E foi o primeiro presidente da Rádio Nacional de Brasília... Quem diria, não é?

terça-feira, janeiro 08, 2008  

Postar um comentário

<< Home