01 setembro 2007

MOTO-SERRA "ATACA" EUCALIPTO



----------------------------------------------------------------------------------
Num post de 13/01/2007, contei a história da semente de eucalipto que eu ganhara no estande da Austrália, por ocasião da ECO-92. Ela foi plantada, germinou, cresceu, atingindo cerca de trinta metros de altura. Na ocasião recebemos elogios ao decidirmos mantê-lo intacto, mas as vozes do bom senso e de uma boa moto-serra falaram mais alto. O bom senso até que falou baixo, mas a moto-serra fez muito barulho...

Pois então, atendendo ao justo apelo de nossa vizinha, uma simpática senhora bastante idosa, resolvemos podar o histórico eucalipto, bem como outras árvores do “jardim”. A nossa vizinha tinha receio de que o nosso Eucalyptus melanophloia pudesse cair sobre a casa dela a uns 30 metros de distância. Tudo bem. A podagem já era necessária e aproveitamos para incluír o nosso eucalipto de estimação no “pacote macabro”...

A nossa esperança é a de que ele volte a brotar breve, e fique tão alto como era anteriormente.

O corte drástico teve licença oficial, claro. Nas fotos poderão ver o resultado: como era e como está hoje.

----------------------------------------------------------------------------------
Fotos digitais de Adelino P. Silva
----------------------------------------------------------------------------------

17 Comments:

Blogger Cristiane said...

Caro amigo,

Uma pena realmente ter que ser cortado...mas ele brotará novamente e voltará inteiro de novo, com certeza, "obra da mãe natureza"!

Amo os ipês...esses dias do terraço aqui de casa, avistava ao longe um amarelo...lindo...

Tem post novo...quando puder, apareça!
Um bom domingo, saudades, Cris

domingo, setembro 02, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Brotará sim, e nunca mais tão alto, mas sua vizinha, também, não terá do que se queixar!

Abçs e bom domingo.

domingo, setembro 02, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Ô dó.
Mas é assim mesmo, como nós, nascemos, crescemos e morremos.
É o ciclo da vida.
Bom domingo.
Um beijo

domingo, setembro 02, 2007  
Blogger Sonia said...

Gostei da foto do seu jardim! Que tal fazer outra foto mostrando mais um pouco dele?

Aqui em casa também foi preciso atacar de moto serra, mas eram muitos eucalíptos, altíssimos, de cerca de 30 anos de idade e estavam ficando perigosos mesmo!

domingo, setembro 02, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, das duas uma: ou vc mora no "Jardim Botânico" ou o jardim aí é uma chácara! Fica aí no Rio mesmo?
Bom, dá dó cortar uma árvore, mas tem horas que não tem jeito.
Se a Aninha estivesse por perto já iria querer que eu fosse aí buscar "os restos mortais" do eucalipto para ela colocar no fogão à lenha.
Abraço grande

domingo, setembro 02, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Adelino, pode guardar a lenha aí.
Já convoquei ele a buscar, sem moleza aqui.
Se quiser comer feijãozinho cozido no fogão de lenha, tem que providenciar a lenha.
Um beijo

domingo, setembro 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Olá, Cris. Na verdade, aquele ipê da minha foto já esteve mais bonito. Depois de três dias foi que tive a oportunidade da foto. Quando minha filha me avisou as flores já começavam a cair.
Mas o que valeu foi a intençao.
Vou lá te visitar sim, claro.
Beijos, bom resto de domingo e semana toda.
Beijos

domingo, setembro 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Pois é, Eduardo, mas a queixa da vizinha era justa. Ela não reclamou diretamente comigo, porque disse que eu era muito educado, gente boa etc. Mesmo assim o eucalipto foi para o sacrifício. Tinha de ir.
Grande abraço, e boa semana.

domingo, setembro 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Anna, é isso, o ciclo da vida: nascemos, crescemos, morremos. Os brotos que certamente nascerão dos troncos serrados, correspondem aos filhos e netos que aqui deixaremos.
Beijo.

domingo, setembro 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Sonia, eu falo jardim, mas não é tão grande. Qualquer hora posto uma foto mais abrangente. O que eu mais gosto é que tudo o que ali existe de verde foi plantado com as nossas próprias mãos.

Aquele eucalipto tinha 15 anos. Quer dizer, tem, porque segundo o Eduardo, ele vai brotar sim, mas não ficará tão alto, o que já é algum consolo.
Até mais, Sonia. E obrigado.

domingo, setembro 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Não na cidade do Rio, Valter, mas no Estado do Rio. Perto daqui.
E eu não moro lá. Mas vou lá muito. É um refúgio, mas não é chácara. Uma hácara, no meu conceito, seria algo bem maior.
Quanto à lenha, meu caro Valter, a turma da moto-serra levou... Restaram apenas duas toras (é assim que fala?) do eucalipto. Delas pretendo fazer um banco ou uma mesa...
Grande abraço, e boa semana.

domingo, setembro 02, 2007  
Anonymous Adelino said...

Pois é, Anna, mas como disse ao Valter, levaram as "lenhas". Acho que fazia parte do "pacote". Restaram apenas dois pedaços do eucalipto.
Lembro-mem bem do fogão de lenha. Pior é quando a lenha estava úmida e saía aquela fumaceira toda. Mas valia a pena. E as brasas que iam para o ferro de passar roupa, pesadão, com suas fagulhas de vez em quando queimando as roupas?
Bons tempos, tempos bons.
Beijo. Boa semana.

domingo, setembro 02, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, pois aqui ainda temos o fogão à lenha, por isso falei que a Aninha iria mandar eu buscar aí as toras. Aqui, apanho restos de construção, faço limpesa pública e o feijão, fica mais gostoso.
Abraço forte

segunda-feira, setembro 03, 2007  
Blogger Yvonne said...

Adelino, tomara que ele volte a brotar novamente. Vou torcer por isso. Beijocas

segunda-feira, setembro 03, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, por favor, avise a Anninha que fizemos a receita da sopa que ela publicou dia desses. Acabou no mesmo dia... Sucesso total. E já imginou feita em fogão à lenha?
Grande abraço

segunda-feira, setembro 03, 2007  
Anonymous Adelino said...

Yvonne, segundo o Eduardo, ele vai voltar sim a brotar, mas nunca chegará à mesma altura de antes. Já é alguma coisa. E nem contei de uma casuarina e de um flamboyant...
Abraços

segunda-feira, setembro 03, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, desde que vc vá buascar a lenha, eu recomendo sem restrições.
A Aninha já está pensando numa costela de vaca cozida no mesmo fogão à lenha. Com mandioca amarelinha, aqui chamamos de " Vaca atolada". É de comer rezando (rezando prá não chegar visitas, claro)
Abraços

terça-feira, setembro 04, 2007  

Postar um comentário

<< Home