17 julho 2007

CINCO (espécies de) LIVROS PREDILETOS


----------------------------------------------------------------------------------
Fui escolhido pela nossa querida MARILIA ALVARENGA a listar cinco livros meus prediletos, marcantes, inesquecíveis... Não aprecio muito o gênero ficção. Gosto de livros biográficos, de depoimentos, de memórias, principalmente se os personagens foram mais ou menos contemporâneos meus.

Lógico, já li também muitos livros sobre psicologia, ciências e romances, alguns por obrigação, outros, por prazer mesmo: Vila dos Confins, Chapadão do Bugre, O Coronel e o Lobisomem, O Guarani (edição não condensada), Espumas Flutuantes, Grande Sertão Veredas... E também, claro, Ivanhoe, Pinocchio, Robinson Crusoe, Coração... E já que tenho de nomear apenas cinco, faço-o apenas como amostragem do gênero de livro que mais de cativa. Ei-los:

1 - TESTEMUHO POLÍTICO (Murilo Melo Filho). “Murilo Melo Filho é uma testemunha da história brasileira contemporânea. Não só assistiu aos fatos como os escreveu (...) A Tribuna da Imprensa era o templo do jornalismo engajado e a vanguarda da oposição planfetária.(...);

2 – CARLOS LACERDA – DEPOIMENTO (Cláudio Lacerda, prefácio de Ruy Mesquita). (...) Depoimento é talvez o último, talvez o maior e certamente o mais importante de todos os que Carlos Lacerda fez (...) São histórias de quase 50 anos da vida brasileira, contadas analisadas e interpretadas pelo mais marcante político de sua geração (...);

3 - COBRAS CRIADAS – DAVID NASSER E O CRUZEIRO (Luiz Maklouf Carvalho). (...) David Nasser o mais conhecido jornalista brasileiro dos anos 50 fez sua carreira num ambiente de grandes controvérsias e intrigas. (...) ...e tem como personagens dezenas de outras “cobras criadas” (políticos, artistas, empresários, policiais), figuras decisivas para os rumos do Brasil no século XX (...);

4 – CHATÔ, O REI DO DO BRASIL (Fernando Morais). (...) "Você vai constatá-lo lendo o brilhante relato de Fernando Morais (...); só que você vai fazer muito mais do que conhecer a biografia de um homem cheio de grandeza e miséria, paixão e fúria. Você vai realizar daqui a pouco, um denso, inquietante, assombroso mergulho na História contemporânea do Brasil (...);

5 – NA FOGUEIRA – MEMÓRIAS (Joel Silveira). “(...) Com Joel, pelas ruas do Rio do final dos anos 30, conhecemos uma nova/antiga cidade, passeamos por suas avenidas, nos envolvemos com a política e a literatura e entramos um tanto mais na intimidade de tantas personagens que, como ele, fazem a História das Letras e do Jornalismo brasileiros.";

E mais: “Juscelino, uma História de Amor” (João Pinheiro Neto), “Getúlio Vargas, meu Pai” (Alzira Vargas), “Tinha que ser Minas “ (Mourão Filho), “Um Século de Boa Vida” (Jorge Guinle) etc etc e todos os livros de crônicas de Paulo Alberto Monteiro de Barros, o Artur da Távola.

Eu não entendi bem a regra do jogo, mas parece que tenho de indicar outros amigos "blogueiros" para que façam o mesmo que fiz. Então anotem:
1 - Cristiane (Fragmentos de Mim)
2 - Márcia(clarinha)(Brincando com Palavras)
3 - Peri (Armazém Peri S.C.)
4 - Lord Broken Pottery

----------------------------------------------------------------------------------
Imagem: David Nasser, contra-capa do livro COBRAS CRIADAS (escaneada por Adelino P. Silva)
----------------------------------------------------------------------------------

29 Comments:

Blogger Eduardo P.L. said...

Da sua relação acredito ter lido todos. Boas escolhas! Parabéns! Suas sinteses dos livros esta ótima!

Forte abraço.

quarta-feira, julho 18, 2007  
Blogger marilia said...

Adelino...que boa lembrança! da sua relação já li alguns, mas tenho especial predileção pelo Pedro Nava, e suas historias biográficas me levam longe...
obrigada por dar continuidade a brincadeira!
ps.: que dia triste hoje, após o ocorrido em são paulo! acidente anunciado, por negligencia dolosa de muitos ...
estamos todos de luto hoje nesse pais>.
bjos , amigo!
bom dia!

quarta-feira, julho 18, 2007  
Blogger Lord Broken Pottery said...

Adelino,
Excelente lista! Gosto muito do livro do Joel Silveira. Obrigado pela indicação. É só eu pensar um pouquinho e faço minha lista.
Grande abraço

quarta-feira, julho 18, 2007  
Blogger Yvonne said...

Adelino, também escrevi a minha lista só que ela está imensa. Dos seus preferidos, não li nenhum. Minha filha comprou o do Chatô, mas por razões que não sei dizer, não tenho vontade de ler o livro.
Beijocas
P.S.: Mais uma tragédia envolvendo aviões. Tá difícil.

quarta-feira, julho 18, 2007  
Blogger valter ferraz said...

Adelino, bela a sua lista.
Dela já lí o Joel Silveira, o Chatô e o Pedro Nava, Baú dos Ossos.
Muito bem feita alista, explicadinho.
Valeu aspena esperar.

Grande abraço

quarta-feira, julho 18, 2007  
Blogger Cristiane said...

Caro Adelino,
Obrigada pela lembrança, amo falar de livros e falarei sobre os meus preferidos no meu próximo post, te aviso ok?
Dos que vc indicou li o sobre JK, em especial pela fascinação por História...
Recebeu o e-mail que te enviei sábado?
Tomara...
Apareça por lá, Dia 20 é o dia do Amigo e gostaria de tê-los lá comigo, te espero desde já!
Beijo,
Cris

quinta-feira, julho 19, 2007  
Blogger O Meu Jeito de Ser said...

Grande Adelino, gosto da maneira como você explica as coisas.
Prá quem não leu, como eu, já sai daqui conhecendo um pouquinho de cada um.
Parabéns pelo post, você "esmerilhou".
Um abraço.

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous peri s.c. said...

Adelino,
em breve devassarei minhas predileções.
Esta palavra, predileto, torna a questão mais divertida.
abraço

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Obrigado, Eduardo.
E obrigado também pelo prestígio que oferece ao meu blog.
Grande abraço

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

É verdade, Marilia, é uma pena que o país esteja de luto por mais uma tragédia.
Nesses casos eu penso menos nos que se foram, e mais nos que ficaram: mães, esposas, maridos, tios, avós, amigos...
E pensar que há poucos dias a "nossa" Ministra Martha Suplicy proferiu aquela frase tão pouco original, mas tão fora de propósito, não é?
Começo até a achar que aquelas vaias no Maracanã foram bem aplicadas. Vi ontem uma coletiva, na qual ninguém se entendia.
Obrigado, Marilia, e grande abraço.

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Lord, pra mim foi fácil fazer a "Lista da Marilia", mas para vocês, intelectuais, é muito mais difícil. As opções são muitas.
Grande abraço, e espero não lhe ter dado trabalho. Aguardemos.
Obrigado.
Grande abraço

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Yvonne, eu acompanhava muito pela imprensa as atividades do jornalista/empresário Assis Chateaubriand. Talvez por isso o meu grande interesse em ter saboreado o livro do Fernando Morais. Tem passagens bem interessantes, inclusive a dos aero-clubes espalhados por todo o Brasil, e a forma como ele conseguia a doação de importantes obras de arte para os nossos museus.
Quanto a tragédia do airbus da TAM, sem comentários.
Abraços.

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Valter, obrigado.
Eu sempre gostei desse tipo de livros, porque fui contemporâneo de muitos fatos e personagens ali retratados. Mas não desprezo e nem desgosto de outros gêneros de leitura, apenas não sinto tanta atração por eles.
Grande abraço, Valter.

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Olá, Cris, lembra-se que eu lhe avisei que você estaria na "Lista da Marilia"? Então? Sei do seu gosto pela leitura, inclusive que lê três livros ao mesmo tempo...

Sobre o livro de João Pinheiro Neto sobre o JK, achei interessante porque eu, "chato de galochas", descobri naquele livro três enganos do autor, sem importância, mas históricos. A atitude do João foi muito bonita. Mandou-me um amável bilhete manuscrito reconhecendo e prometendo que para as próximas edições faria a correção. Se fizeram, não sei, mas só a atitude de grandeza dele valorizou o meu exemplar, bem como a sua imagem de grande homem público que foi. Depois lhe digo quais foram, apenas por curiosidade.
Recebi o seu e-mail de sábado. Estarei lá, claro.
Bjs

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Anna, cá entre nós, por mim eu acrescentaria na "Lista da Marilia" os meus álbuns do Flash Gordon, do Príncipe Valente, do Brick Bradford, do Spirit... Este último até com dedicatória/autógrafo do Will Esiner... Já imaginou o "escândalo" que eu ia provocar?
Um abraço, Anna, e muito obrigado.

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Anna, errei, isto é, "o teclado errou": WILL EISNER... e não como eu escrevi, ok?
Abs

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Claro, Peri, estaremos esperando pela sua lista. Prediletos é melhor, é um termo mais amplo, menos compromissado, não é?
Grande abraço. Obrigado

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous peri s.c. said...

Adelino, você me " furou" com o Spirit, e , uau, autografado!
Eu me rendo, você venceu!

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Peri, o autógrafo do Will Eisner aconteceu quando compareci à I BIENAL INTERNACIONAL DE QUADRINHOS, realizada no Rio, de 7 a 17 de novembro de 1991, na Fundição Progresso, na Lapa, portanto há quase 16 anos. Comprei dois exemplares de uma edição especial contendo suas melhores HQ de 1942 a 1946, ele autorafou/dedicou, além de me honrar com o tradicional aperto de mão. E olha que eu era admirador dele desde os primórdios. E bota primórdios nisso...
Se a vida é uma festa (será?), para mim este foi um dos seus "mehores momentos" da minha, sem dúvida.
E se você me sugerisse um post com esse autógrafo, eu até aceitaria a sua idéia...
Grande abraço.

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous Adelino said...

Peri, tem
ERRATA: o certo é:

"Se a vida é uma festa (será?), este foi um dos "mehores momentos" da minha, sem dúvida."

Abs

quinta-feira, julho 19, 2007  
Anonymous peri s.c. said...

Adelino
Um autógrafo do Eisner vale, claro, um post especialíssimo, os aficcionados aguardam emocionados. Grande Eisner, veio algumas vezes ao Brasil.
Tenho uma publicação dele, onde foram incluídos alguns desenhos que fez da noite de São Paulo.

Podemos iniciar uma série de posts sobre autógrafos, tenho um livro do Carlos Heitor Cony autografado que me foi enviado por ele, numa história muito curiosa.

sexta-feira, julho 20, 2007  
Blogger marilia said...

Ola! ô adelino...vc não torceu o suficiente!!!!
perdemos das cubana!!!
acho que foi pq um te vi lá!!!
rssssss
bjos!!!!!

sexta-feira, julho 20, 2007  
Anonymous Adelino said...

Eduardo, está combinado. Será interessante cada um narrar as formas curiosas como obtiveram autógrafos. Garanto que todos têm algo para contar. E o convite para isso ficaria estendido a todos os nossos amigos blogueiros. Enfim, topo. Aguarde um post sobre o Eisner.
Grande abraço

sábado, julho 21, 2007  
Anonymous Adelino said...

Marilia, eu até ia ao jogo, mas quando vi a hora já tinha passado. Vi pela TV até o dois a dois. No tie-break desisti definitivmente, e fui ao Supermercado. Só que não consegui me livrar do jogo. Tinha uns vinte aparelhos ligados na TV. Quando terminou eu disse a uma pessoa que estava próxima:
- Ainda bem que não fui...

A impressãoque eu tive foi a de que a nossa seleção literalmente "amarelava" na hora de decidir. Uma pena.
Beijos

sábado, julho 21, 2007  
Blogger Sonia said...

De sua lista de cinco livros só li o do Joel Silveira, que gostei bastante. Livros são sempre um ótimo tema!

Ótimo final de semana!

sábado, julho 21, 2007  
Blogger Eduardo P.L. said...

Adelino, nada a agradecer, seu blog é que tem prestígio.É nato. Só o autor dá essa característica.

Forte abraço e bom final de domingo.

domingo, julho 22, 2007  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Adelino, desculpa minha ausência, agora vi seus livros fantásticos e seu pedido pra que eu listasse os meus, mas meu amigo, ultimamente só leio Clarice Lispector, Hilda Hilst, Quintana, Leminski,Saramago e Garcia Marquez, poesia e poesia...rsss
Obrigada pelo carinho e tenha linda semana
beijos

segunda-feira, julho 23, 2007  
Blogger peri s.c. said...

Adelino, está lá
abraço

terça-feira, julho 24, 2007  
Blogger peri s.c. said...

Adelino, repassando minha lista pela 27ª vez, lembrei de um determinado livro que talvez te interesse, dado seu gosto pela relatos pessoais.
É a biografia de Sir Richard Burton, não o ator, mas sim o explorador inglês, o primeiro ocidental a entrar em Meca.
O livro é um calhamaço envolvente. Ele era um oficial do exército ligado ao serviço secreto da época colonial, convertido ao Islamismo que falava, se me lembro, mais de 20 línguas de etnias árabes.Esteve aqui em nossa terrinha, como consul em Santos. Muito interessante o capítulo onde é narrada esta sua passagem.
Uma vida impressionante.

quarta-feira, julho 25, 2007  

Postar um comentário

<< Home